Portugal teve a maior subida do emprego em cadeia (1,9%) no quarto trimestre de 2020, tendo o número de pessoas empregadas avançado 0,3% na zona euro e 0,4% na União Europeia (UE), divulgou esta terça-feira o Eurostat.

No acumulado de 2020, a taxa de emprego caiu 1,6% na zona euro e 1,5% na UE, depois de ter crescido 1,2% e 1,0% respetivamente, em 2019.

Segundo o gabinete estatístico europeu, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o emprego diminuiu 1,9% na zona euro e 1,6% na UE entre outubro e dezembro de 2020, registando um abrandamento face às quebras de 2,1% e 2,0% respetivamente, no terceiro trimestre de 2020.

Na variação homóloga, a taxa de emprego teve o maior recuo em Espanha (-4,2%), Estónia (-4,0%) e Letónia (-3,4%) e avançou 1,7% no Luxemburgo e 0,8% na Polónia. Em Portugal, a taxa de emprego recuou 0,6% entre outubro e dezembro face ao período homólogo de 2019.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na comparação em cadeia, o emprego aumentou 0,3% na zona euro e 0,4% na UE no quarto trimestre de 2020, depois de ter subido respetivamente 1,0% e 0,9% entre julho e setembro.

No quarto trimestre de 2020, Portugal, Estónia (1,9%, cada) e Espanha (1,2%) registaram o crescimento mais forte da taxa de emprego em comparação com o período anterior. As maiores diminuições foram observadas na República Checa, Croácia, Letónia e Malta (-0,5% cada).