Se no primeiro desconfinamento os ginásios foram obrigados a readaptar os seus espaços, a reduzirem a lotação das aulas e a tentarem manter distância de segurança entre quem os clientes para impedir a propagação do novo coronavírus, agora as regras serão ainda mais apertadas. Segundo anunciou esta noite de quinta-feira o primeiro-ministro António Costa ao país, os ginásios só vão abrir portas a 5 de abril, depois do fim de semana de Páscoa, mas com uma condição: sem aulas de grupo.

Os ginásios deverão funcionar durante cerca de um mês nestes moldes, apenas com as outras atividades físicas que não impliquem aglomerações de pessoas. Só a partir de 3 de maio, segundo o plano apresentado, deverá serão abertas as restantes atividades dos ginásio, caso os números assim o permitam.

É que este plano agora apresentado tem datas definidas e só é concretizado de um acordo com uma tabela: menos de 120 novos casos de infeção por cada 100 mil habitantes a cada 14 dias e um R, ou seja o índice de transmissão do vírus, abaixo de 1.

O X que vai determinar se o desconfinamento avança ou volta atrás

Ao estabelecer as regras de reabertura dos ginásios, o Governo determinou também regras para a atividade física ao ar livre. Se até agora era permitido apenas o treino individual na rua, a partir do dia 5 de abril será possível já fazê-lo em grupo, mas desde que não se juntem mais de 4 pessoas. A 3 de maio deixa de haver este limite.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As datas que vão marcar a abertura dos ginásios e as atividades físicas ao ar livre:

5 de abril

Atividade física ao ar livre até 4 pessoas e ginásios sem aulas de grupo.

3 de maio

Atividade física ao ar livre sem limitações e todas as atividades nos ginásios.

Deslocações para fora de Portugal permitidas a partir de 15 de março