O presidente da Associação Feiras e Mercados da Região Norte, Fernando Sá, considerou esta quinta-feira que a ideia de reabrir a atividade a 05 de abril “agrada“, mas referiu que o ideal seria que tal acontecesse já na segunda-feira.

Agrada-nos numa meia medida, não é o ideal, mas é a certeza do reinício da atividade a partir de 05 de abril, o que já permite que os feirantes possam planear a sua vida, face aos seus compromissos. Contudo, estávamos ansiosos que a reabertura das feiras fosse já a partir de 15 de março”, disse Fernando Sá.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou quinta-feira um plano de reabertura de atividades “a conta-gotas“, considerando que neste momento se pode falar “com segurança” de uma “reabertura progressiva da sociedade”. António Costa falava aos jornalistas desde o Palácio da Ajuda, em Lisboa, no final do Conselho de Ministros, que esteve reunido para aprovar o plano do Governo para desconfinamento do país, no âmbito da pandemia de Covid-19.

De acordo com o documento apresentado pelo Governo, as feiras e mercados não-alimentares vão poder reabrir a partir de 05 de abril, por decisão municipal. Estas atividades ficaram suspensas aquando do novo confinamento, que teve início em 15 de janeiro, sendo permitidas apenas nos casos de venda de produtos alimentares.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Governo entendeu ‘chutar‘ para depois da Páscoa essa reabertura dando às autarquias a responsabilidade dessa permissão, o que acaba por ser uma meia satisfação relativamente aos nossos desejos”, sublinhou, em declarações à Lusa.

De acordo com o presidente da AFMRN, “os feirantes já não aguentavam mais esta paragem, que foi mais longa do que a do no primeiro confinamento, durou quase dois meses e meio, o que originou situações bastante dolorosas para as famílias que vivem desta atividade”.

“Agora, vamos enviar email para sensibilizar as autarquias para que diligenciem de forma a que a partir de 05 de abril possam já reabrir as feiras nas localidades onde se realizem“, acrescentou. No âmbito do plano de desconfinamento apresentado na quinta-feira, o comércio local de bens não essenciais e as atividades de cabeleireiro e similares vão reabrir ao público na próxima segunda-feira.

De acordo com o plano apresentado, reabre também o comércio automóvel. O plano, que António Costa disse ser “prolongado“, “conservador” e a “conta-gotas“, prevê um retomar gradual das atividades até 03 de maio.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.630.768 mortos no mundo, resultantes de mais de 118,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 16.635 pessoas dos 812.575 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.