A entrevista que os duques de Sussex deram a Oprah Winfrey foi há mais de uma semana e, embora tenha sido emitida na televisão portuguesa apenas no último domingo, continua a dar que falar. Michelle Obama junta-se agora à lista crescente de personalidades que vieram a público comentar a polémica conversa. Questionada pela Access Hollywood, a ex-primeira-dama dos EUA esclarece: “Nada é mais importante do que a família”.

Michelle, que foi entrevistada por Meghan Markle para a edição britânica da Vogue em 2019, coloca a tónica no perdão e na família: “A minha esperança é, quando penso no que eles estão a passar, pensar na importância da família, e apenas rezo para que haja perdão e que haja clareza, amor e determinação em algum momento”.

Meghan Markle “não presta”, diz Donald Trump após polémica entrevista

Numa outra entrevista concedida à CBS News, com transmissão prevista para esta terça-feira de manhã, Michelle Obama classificou as alegações de Meghan e Harry sobre a especulação em torno do tom de pele de Archie “desoladoras”, mas não “totalmente surpreendentes”, de acordo com o The Telegraph. “Como já disse antes, a raça não é uma construção nova para as pessoas de cor, por isso não foi totalmente surpreendente ouvi-la falar dos seus sentimentos”, referiu. “Foi desolador ouvir a forma como ela se sentia no seio da sua própria família, que pensava de uma forma diferente”, continuou a ex-primeira-dama.

Os comentários vão muito ao contrário da opinião de Donald Trump, que deixou claro que Meghan “não presta”. A relevação, segundo a publicação Deadline, foi feita pelo ex-assessor de Trump no podcast de Steve Bannon, “War Room”, na passada quarta-feira. Trump recusou-se a prestar declarações públicas na sequência da entrevista, mas autorizou o ex-assessor Jason Miller a partilhar este seu comentário e a “fazer algumas notícias” no podcast. Trump terá ainda afirmado que é da “equipa de Piers Morgan” — “Piers é o maior”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Piers Morgan abandona “Good Morning Britain” depois de comentários polémicos sobre Meghan Markle

Já a assessora da Casa Branca, Jen Psaki, elogiou desde o primeiro dia o príncipe Harry e Meghan Markle por falarem abertamente sobre as dificuldades face à saúde mental durante a entrevista com Oprah, tema com o qual também Joe Biden, presidente norte-americano, se identifica. “Isso exige coragem”, disse, recusando fazer mais comentários dado que Meghan e Harry são “cidadãos privados”, mencionado ainda a “parceria especial” dos EUA com o governo britânico.

Na entrevista, a duquesa de Sussex alega que no seio da família real britânica houve discussões internas sobre o quão escura seria a pele de Archie. A denúncia não foi atribuída a nenhum membro em particular, mas horas depois coube a Oprah Winfrey explicar que a rainha e o marido não foram responsáveis por tais afirmações. Durante a conversa com a apresentadora norte-americana, os duques de Sussex defenderam a ideia de que deixaram o Reino Unido devido ao racismo, afirmando ainda que a “Firma” falhou a Meghan perante as suas fragilidades psicológicas.