Portugal não é adverso aos videojogos, muito pelo contrário. Em títulos de futebol como o “Fifa” ou “Pro Evolution Soccer” qualquer jogador fica a saber o que é ser o selecionador nacional. Contudo, onde Portugal também brilha nesta indústria é nos videojogos que versam sobre temas de História. Há aqueles que põem o jogador em momentos mais tensos, como a ter de correr entre prédio durante o terramoto de 1755 em Lisboa, que é o que acontece em “Assassins’ Creed Rogue”. Porém, é nos videojogos de estratégia que o país tem tendido a mostrar o lado positivo da História.

[Em Assassins’ Creed Rogue, como é possível ver no vídeo abaixo, uma das missões implica ter de escapar de Lisboa a partir do Convento do Carmo durante o terramoto de 1755]

Depois de, na segunda-feira, ter sido divulgado que Portugal vai ser uma civilização jogável no último título da série “Civilization”, o “Civ VI” — o país já tinha sido uma opção em títulos anteriores da mesma série — deixamos quatro recomendações de videojogos para computador nos quais pode viver, relembrar, ou até mudar a História de Portugal.

Portugal é a mais recente civilização do videojogo “Civilization VI”

Age of Empires II e III

[Um vídeo no qual um fã de Age of Empires II mostra as vantagens de escolher os portugueses no jogo]

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O “Age of Empires II”, lançado em 1999, é um dos videojogos de estratégia em tempo real mais conhecidos. Dezasseis anos depois, em 2015, passou a ser possível escolher os portugueses, depois de um novo lançamento feito numa reedição do jogo. Em “Age of Empires III”, a sequela deste jogo dedicada aos Descobrimentos, lançada em 2005, Portugal é uma das civilizações em que, logo desde o lançamento, o jogador pode escolher para explorar e conquistar cenários.

Europa Universalis IV

Em Europa Universalis o jogador pode escolher Portugal e mudar o curso da História europeia

O “Europa Universalis IV”, lançado em 2013, é um videojogo de estratégia para os jogadores que não se importam com  jogos complexos. Sendo um jogo que quer cobrir quatro séculos de História sobre os Descobrimentos e o Renascimento, tem Portugal como uma das civilizações jogáveis. Em títulos anteriores, Portugal já constava também. Convém referir que a sueca Paradox Interactive, a produtora desta série, também fez outros jogos nos quais é possível liderar os destinos de Portugal, como as séries “Hearts of Iron”, “Victoria”, ou a mais conhecida “Crusader Kings”.

Medieval II: Total War

Em “Medieval II: Total War” o jogador pode recriar a história e guerras medievais nas quais Portugal participou

Como diz o nome [Guerra total], este não é para quem quer uma experiência pacífica. Contudo, em 2006, em “Medieval II: Total War”, Portugal é uma das fações que o jogador pode escolher para as batalhas. Em títulos posteriores, como “Total War: Empire”, “Total War: Napoleon” e “Total War: Shogun 2”, o país volta a aparecer, mas sem o destaque merecido que teve nesta versão.

Portugal 1111: a Conquista de Soure 

“Portugal 1111: A Conquista de Soure” é considerado o primeiro videojogo de estratégia feito em Portugal

Tendo sido feito pelos portugueses do estúdio nacional Ciberbit, e sendo sobre Portugal, este jogo não podia faltar nesta lista. “Portugal 1111: a Conquista de Soure” teve o apoio da Câmara Municipal de Soure e foi lançado em 2004, juntamente com uma edição da Visão. Em termos de jogabilidade é bastante semelhante à série “Age of Empires”. Mesmo assim, e para quem quer viver a história do país no século XII, não deixa de ser uma experiência interessante que vale a pena relembrar e jogar.