O município de Penacova, no distrito de Coimbra, vai ter 16 parques espalhados pelo seu território destinados à recolha de sobrantes agroflorestais, para prevenir e mitigar os riscos de incêndio, foi esta segunda-feira anunciado. A instalação dos parques de sobrantes agroflorestais ocorre no âmbito de um protocolo celebrado entre a autarquia de Penacova e a empresa Altri.

As duas entidades “deram início, esta semana, à instalação de 16 parques destinados à recolha de sobrantes agroflorestais, sendo implantados em cada uma das freguesias do concelho dois parques com localizações distintas”, segundo um comunicado enviado à agência Lusa.

Os equipamentos são realizados no âmbito do protocolo assinado em 2019 entre a Fundação Mata do Buçaco, os municípios de Penacova, Mealhada e Mortágua, e a Altri, “com vista à instalação de parques de recolha de resíduos agrícolas e provenientes de gestão de combustível ou de pequenas intervenções florestais“.

Entre os principais objetivos do protocolo estão a redução do risco de incêndios provocados por eventuais queimas descontroladas e o controlo de espécies invasoras, como a acácia, nomeadamente, no perímetro florestal da Serra do Buçaco e noutros locais do território dos três municípios”, lê-se na nota.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a fonte, no âmbito do protocolo, os munícipes de Penacova “poderão agora colocar, gratuitamente, os resíduos agrícolas nestes parques, cabendo à Altri a sua recolha e preparação de modo a serem encaminhados para as suas centrais de produção de energia através de biomassa”.

A recolha de resíduos florestais e agrícolas contribui, simultaneamente, “para a prevenção e mitigação dos riscos de incêndio, numa região habitualmente fustigada por este flagelo, e para a produção de energia verde, fator determinante para a sustentabilidade ambiental“.

Ainda no âmbito do referido protocolo, vai proceder-se, no perímetro florestal da Serra do Buçaco, ao corte de acácias invasoras, reduzindo desta forma o risco de incêndios e favorecendo a reflorestação com espécies autóctones, segundo o mesmo comunicado. O material resultante do corte será também “encaminhado para as centrais da Altri para produção de energia renovável“, remata.