“Promising Young Woman” e “Borat Subsequent Moviefilm” foram os grandes vencedores dos prémios anuais do sindicato dos argumentistas (Screenwriters Guild Awards, WGA), que se realizaram no domingo com uma cerimónia virtual devido à pandemia da Covid-19.

A feminista e surpreendente “Promising Young Woman”, escrita e dirigida por Emerald Fennell, ganhou o prémio de melhor argumento original, ao bater os nomeados na categoria “Judas and the Black Messiah”, “Palm Springs”, “Sound of Metal” e “The Trial of the Chicago 7”. Com esta distinção, “Promising Young Woman” promete lutar pelo Óscar de melhor argumento original frente a “The Trial of the Chicago 7”, considerado o principal favorito para a estatueta depois de ganhar o Globo de Ouro para melhor argumento.

O prémio de melhor argumento adaptado foi para a comédia surreal e grotesca de “Borat Subsequent Moviefilm”, que deixou para trás “Ma Rainey’s Black Bottom”, “News of the World”, “One Night in Miami” e “The White Tiger”, tornando-se no favorito à corrida ao Óscar para melhor argumento adaptado.

Quanto às categorias de televisão, o vencedor da noite foi “Ted Lasso”, que conquistou o prémio de melhor comédia e de melhor nova série.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“The Crown” foi distinguido como melhor série dramática, enquanto “Mrs. America” venceu a melhor produção original e “The Queen’s Gambit” a melhor adaptação.

A temporada de prémios de Hollywood vai culminar em 25 de abril com mais uma edição dos Óscares, adiados dois meses devido à pandemia da Covid-19.