A Espanha levantou nesta terça-feira as restrições à entrada por via aérea e marítima de passageiros provenientes do Reino Unido, mas prolongou as que estão em vigor nos voos do Brasil e da África do Sul até meados de abril. “As restrições são mantidas com a África do Sul e o Brasil” até 13 de Abril, “mas não com o Reino Unido”, onde o programa de vacinação contra a Covid-19 está muito avançado, disse esta terça-feira a ministra porta-voz do Governo espanhol, Maria Jesús Montero, depois do Conselho de Ministros semanal.

Os cidadãos britânicos devem a partir de agora estar sujeitos às mesmas regras em vigor no espaço Schengen, que exigem um teste PCR negativo para transitar entre países, explicou a porta-voz.

No entanto, Madrid decidiu manter as limitações dos voos chegados do Brasil e da África do Sul, para tentar impedir a propagação das variantes da pandemia de Covid-19 detetadas nestes países, que “ainda têm pouca prevalência em Espanha”. Desta forma, as restrições foram prorrogadas para os viajantes chegados destes dois países pela quarta vez, entrando em vigor a partir das 18h00 de 30 de março até às 00h00 de 13 de abril.

O regulamento apenas permite voos que transportem cidadãos de Espanha e de Andorra e residentes nestes países, bem como passageiros em trânsito internacional para um país não-Schengen com uma escala inferior a 24 horas, que não saiam da zona de trânsito dos aeroportos espanhóis.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Espanha é um dos países europeus mais atingidos pela pandemia, com mais de 3,2 milhões de casos confirmados e mais de 73 mil mortes.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.732.899 mortos no mundo, resultantes de cerca de 123,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.