A Volta à Catalunha nem começou da melhor forma para os corredores portugueses, com Rui Costa a ser obrigado a abandonar a prova logo no primeiro dia após ter sido atropelado por uma mota. No entanto, num prolongamento do que já tinha acontecido em 2020, as figuras nacionais continuam bem presentes e a quinta etapa, entre La Pobla de Segur e Manresa na distância de 201,1km, foi mais um exemplo paradigmático disso mesmo.

João Almeida volta a ficar sozinho na subida, cai para a sétima posição e Ineos reforça domínio na Volta à Catalunha

À terceira tentativa, o alemão Lennard Kämna conseguiu a sua primeira vitória na Volta à Catalunha, naquele que foi também o primeiro triunfo da Bora, ficando à frente de Rúben Guerreiro, português da EF Education que ficou na segunda posição. Já João Almeida, mesmo terminando no pelotão com todos os principais classificados, surgiu na frente nos últimos metros para tentar reduzir a distância que tem para os primeiros posicionados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Kämna venceu com o tempo de 4.29,13, menos 39 segundos do que Rúben Guerreiro e menos 42 segundos do que o espanhol Mikel Bizkarra, da Euskadi. Dan Martin, Matej Mohoric, James Knox, Attila Valter, Rigoberto Urán e Steven Kruijswijk fecharam o top 10 da etapa, todos a 44 segundos do germânico da Bora.

Apesar do esforço final nos últimos metros, João Almeida não conseguiu tirar qualquer segundo aos elementos da frente, com a classificação a manter-se inalterável em relação à véspera com Adam Yates na frente com 45 segundos de avanço sobre Richie Porte e 49 segundos sobre Geraint Thomas, seguindo-se Alejandro Valverde (1.03), Wilco Kelderman (1.03), Esteban Chaves (1.04), João Almeida (1.07), Hugh Carthy (1.20), Sepp Kuss (1.29) e Simon Yates (1.32). O português mantém também a liderança da camisola da juventude.