O Fundão vendeu cara a derrota na meia-final com o Sporting mas acabou por perder por 4-2, o Módicus manteve a outra meia-final em aberto até ao final frente ao Benfica mas cedeu por 2-0. Apesar da competitividade que houve na Final Eight da Taça da Liga de futsal, os mais fortes acabaram por vencer. Por sinal, as duas únicas formações a conquistar o troféu nas cinco edições até ao momento, com a terceira decisão agora entre ambas.

Sporting empata dérbi com o Benfica na Luz e mantém liderança da fase regular da Liga

Depois de dois empates na fase regular do Campeonato (3-3 em Alvalade, 1-1 na Luz), os rivais encontravam-se em mais uma decisão de um título que foi para os leões em 2016 (Fundão, 2-0) e 2017 (Fundão, 4-0) e para as águias em 2018 (Sporting, 5-2), 2019 (Sp. Braga/AAUM, 3-0) e 2020 (Sporting, 5-4). Agora, no Pavilhão Multiusos de Sines, a história foi diametralmente oposta, com o Sporting a golear o Benfica por 6-2 e a conquistar a sua terceira Taça da Liga, na primeira decisão direta com os encarnados em que conseguiu ser melhor.

O Benfica tentou surpreender desde início começando a jogar logo em 5×4 com Henmi na função de guarda-redes avançado, voltou depois aos 4×4 com capacidade para criar várias oportunidades bem travadas por Guitta após tentativas de Robinho e Afonso mas foi o Sporting a inaugurar o marcador num grande trabalho individual de Merlim, a puxar a bola para dentro e a rematar ao ângulo inferior da baliza de André Correia (7′). Os encarnados tentaram depois reagir sem a mesma capacidade de ganhar bolas ainda no meio-campo adversário, voltou a ter dois bons remates mas foram os leões que conseguiram reforçar essa vantagem a pouco mais de um minuto de intervalo, com Rocha a ganhar no 1×1 de pivô com Nilson e a disparar uma “bomba” ao ângulo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Joel Rocha tinha a missão de inverter o rumo de uma primeira parte muito marcada pela eficácia para a equipa de Nuno Dias teve uma entrada a todo o gás após o intervalo e conseguiu chegar ao 4-0 com dois grandes lances de Zicky Té, primeiro a rodar sobre Afonso e a rematar colocado sem hipóteses para André Correia (21′) e depois a receber antes de assistir para o tiro na passada de Pauleta (23′). Nos últimos dez minutos, o Benfica arriscou o 5×4 com Robinho como guarda-redes avançado, Guitta voltou a estar em destaque na baliza dos verde e brancos com mais uma série de intervenções de grande nível antes do 5-0 de novo por Zicky Té, a receber no peito um passe longo de Merlim, a virar e a marcar num golo com culpas para André Correia e Arthur (36′). Silvestre, à boca da baliza após remate de Fábio Cecílio e após assistência de Henmi, bisou e reduziu nos últimos minutos, antes de novo erro de André Correia a dar a bola a João Matos para fechar as contas no 6-2 a 37 segundos do final.

As equipas vão agora terminar em abril as últimas três jornadas da fase regular do Campeonato, que tem nesta altura o Sporting na frente com dois pontos a mais do que o Benfica (os leões defrontam Belenenses, Caxinas e Elétrico, as águias com Quinta dos Lombos, Sp. Braga/AAUM e Fundão), havendo pelo meio nova paragem para Seleção que defronta Marrocos (particular) e Noruega (dois jogos para a qualificação para o Europeu de 2022) antes da Final Eight da Liga dos Campeões, que arranca com Benfica-Kairat e Sporting-KPRF Moskva.