A Rússia e a Turquia encerram a partir desta terça-feira três postos de controlo na Síria, dois em Idlib e um em Alepo, devido a ataques de insurgentes e até que a situação se estabilize.

Num comunicado, o centro de reconciliação russo na Síria indica que “a partir de 30 de março” os postos serão “temporariamente encerrados até à estabilização da situação e à criação das condições necessárias para garantir a segurança dos civis“. O Ministério da Defesa da Rússia precisou tratar-se dos postos de Saraqeb e Miznas em Idlib e de Abu Azeidin em Alepo.

O encerramento ocorre apenas uma semana depois de Moscovo e Ancara terem anunciado a abertura dos três postos de controlo “para acabar com o isolamento e face ao bloqueio interno de civis”.

Na altura, o subdiretor do centro de reconciliação russo na Síria, o contra-almirante Alexandr Karpov, disse que os postos estavam prontos desde fevereiro, mas que “as atividades dos grupos armados ilegais” que operam na zona obrigaram a adiar a sua abertura. Atualmente, “organizações terroristas em territórios sob o controlo das forças turcas realizam ataques provocatórios e bloqueiam o movimento de pessoas e transportes nos corredores de saída”, disse, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O governo sírio abriu em finais de fevereiro um corredor para os civis que desejam abandonar Idlib e ir para zonas sob controlo do regime de Bashar al-Assad. A província de Idlib (noroeste) é o último bastião dos grupos rebeldes e ‘jihadistas’ na Síria, sendo controlada principalmente pelo Hayat Tahrir al-Sham, ex-ramo sírio da Al-Qaida.

A guerra da Síria, que já completou 10 anos, causou pelo menos 388.652 mortos e mais de 11 milhões de deslocados e refugiados.