Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

10 de abril é o pior sábado em número de novos contágios pelo novo coronavírus desde o dia 5 de março. A semana que agora termina é segunda consecutiva em que a média de casos sobe, o que não acontecia desde o pico desta segunda onda (na semana de 24 a 30 janeiro), e a pior desde 7 a 13 de março.

Nessa altura, em sete dias houve 43.04 novos infetados, mas seguiram-se duas semanas de queda nos números. Entre 14 e 20 de abril houve uma diminuição de quase mil casos em comparação com a semana anterior e a descida manteve-se na semana seguinte, em que se registaram 2962 contágios. A tendência de queda inverteu-se na semana seguinte — entre 28 de março e 3 de abril —, altura em que os casos voltaram a subir para 3100. Esta semana — de 4 a 10 de abril — houve 3786 novos infetados com a Covid-19.

Num sentido oposto, a tendência da diminuição semanal de mortes continua. Esta semana Portugal registou 35 mortes por Covid-19, sendo que quinta-feira foi o pior dia com nove mortes.

No boletim diário sobre a pandemia da Covid-19 em Portugal, as autoridades de saúde identificaram mais seis mortes devido ao novo coronavírus. As seis mortes distribuiram-se pela região de Lisboa e Vale do Tejo (3), Norte (2) e Centro (1). As vítimas foram quatro homens, três deles na faixa etária entre os 70 e os 79 anos e um com mais de 80 anos, e duas mulheres, ambas com mais de 80 anos. No total, desde o início da pandemia morreram 16.910 devido à Covid-19.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Houve ainda mais 601novas infeções, o que totaliza 826.928. Mas há menos 90 casos ativos do que ontem, são 25.810 as pessoas positivas em Portugal. Por outro lado, estão mais 535 contactos em vigilância, um total de 17.407 pessoas ao dia de hoje. Até agora, já recuperaram da Covid-19 784.208 pessoas em todo o território nacional, um número que aumentou 685 desde ontem.

Neste momento há ainda 466 pessoas internadas em enfermaria, um número que desceu nas últimas 24 horas (menos 20 doentes) e regista-se também uma queda nas unidades de cuidados intensivos (UCI), com menos nove pessoas internadas em estado crítico. Há 119 doentes internados em UCI.

O índice médio de transmissibilidade do vírus, conhecido como R(t) mantém-se em 1,02 em território continental e o mesmo valor na totalidade do país. A incidência está nos 65,7 casos de infeção por 100 mil habitantes a nível nacional e 63,8 no continente.