As vendas a retalho recuaram 2,9% na zona euro e 2,2% na União Europeia (UE) em fevereiro, face ao mês homólogo, com Portugal a registar a maior quebra (15,4%) entre os Estados-membros, segundo o Eurostat.

Já na variação em cadeia, o índice das vendas a retalho aumentou, em fevereiro, 3,0% na zona euro e 2,9% na UE.

Entre os Estados-membros, Portugal registou o maior recuo homólogo (-15,4%), seguido da Eslováquia (-14,7%) e Malta (-8,9%), enquanto as maiores subidas foram observadas na Bélgica (11,0%), Áustria (5,2%) e Croácia (5,1%).

Na comparação com janeiro, as maiores subidas nas vendas a retalho foram observadas na Áustria (28,2%), na Eslovénia (16,4%) e em Itália (8,4%).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os principais recuos em cadeias foram assinalados em Malta (-1,5%), em França e Hungria (-1,2% cada) e em Portugal (-0,7%).

Recorde-se que uma nova fase de confinamento, nomeadamente com o encerramento do comércio de retalho, se iniciou em Portugal em 15 de janeiro, como medida para controlar a pandemia da Covid-19.

A pandemia de Covid-19 — doença transmitida por um novo coronavírus — provocou, pelo menos, 2.929.563 mortos no mundo, resultantes de mais de 135,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 16.916 pessoas dos 827.494 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.