Os bombeiros russos continuam esta terça-feira de manhã a combater o violento incêndio que está a destruir uma fábrica histórica em São Petersburgo e que já fez um morto e três feridos.

“Continuamos o trabalho para extinguir alguns dos focos do incêndio. Neste momento o fogo está circunscrito a 500 metros quadrados”, refere um comunicado do Ministério para as Situações de Emergência da Rússia.

O incêndio, cuja origem ainda não foi determinada, foi detetado na manhã de segunda-feira. Os ventos fortes que se faziam sentir ajudaram a propagar as chamas no complexo de grandes dimensões.

O fogo, visível do centro histórico da antiga capital imperial russa, a cerca de 10 quilómetros de distância destruiu 10 mil metros quadrados da antiga fábrica. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um bombeiro morreu e três ficaram feridos, dois dos quais em estado grave apresentando queimaduras em mais de metade do corpo, segundo fontes governamentais.

Entretanto, uma comissão de inquérito anunciou que chamou o diretor e o diretor-adjunto da manufatura para apurar se “houve negligência”.  “As visitas de inspeção efetuadas em 2020 e 2021 demonstraram várias irregularidades”, recorda a comissão.

Trata-se do incêndio mais grave dos últimos 19 anos em São Petersburgo, de acordo com o portal local de notícias Fontanka.

A Fábrica Nevski, construída por um industrial inglês no século XIX e classificada como “monumento histórico regional” foi considerado como uma das maiores instalações industriais da antiga União Soviética. Atualmente uma parte encontra-se abandonada mas há uma secção do complexo onde a atividade industrial se mantém além de uma zona comercial.