O fundador da U.Dream, programa de voluntariado de universitários em Portugal, anunciou esta quarta-feira que recebeu 400 candidaturas para trabalho voluntário no Porto, Braga, Aveiro e Lisboa, e afirma que pandemia veio despertar os jovens para o voluntariado.

Depois de em fevereiro o fundador da U.Dream, Diogo Mendes, ter alertado para a necessidade urgente de jovens para ajudar no período de pandemia nas áreas de apoio escolar, sem-abrigo e/ou integração de imigrantes no Porto, Braga, Aveiro e Lisboa, houve 400 estudantes universitários portugueses a concorrer às 30 vagas que a U.Dream abriu em cada uma daquelas cidades.

Entusiasma-nos muito receber tantos candidatos numa altura em que tudo parece mais parado e sem dinâmica, numa altura em que se esperava menos interesse, estes resultados falam por si. Estes números são uma resposta positiva e cheia de esperança para as gerações futuras e para o papel que elas vão exigir ter. São números que nos devem orgulhar a todos”, disse à Lusa Diogo Mendes.

Os novos voluntários do projeto educativo U.Dream, paralelo ao ensino superior, estão selecionados e prontos para irem para o terreno, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O programa tem a duração de três semestres e funciona em simultâneo com as aulas, com a afetação semanal de quatro horas em média, com o objetivo de estimular os jovens a usarem as suas paixões, competências e valores para servir as suas comunidades.

Após a seleção, os jovens escolhem o público com que pretendem trabalhar, através da lista de parceiros da U.Dream, e iniciam a experiência de voluntariado com periodicidade semanal. O objetivo é que consigam trabalhar três públicos ou organizações diferentes ao longo do programa.

De forma paralela ao serviço de voluntariado, os jovens vão ter sessões semanais de “transformação pessoal”, para os ajudar a descobrir a fórmula da liderança social, através de sessões de provocação, reflexão, partilha e construção de pensamento crítico sobre o mundo e o papel deles enquanto nele.

O percurso da U.Dream está a ser feito há oito anos e cruza caminhos com experiências de áreas de formação distintas, como gestão, psicologia, coaching, espiritualidade, contando com a companhia de parceiros como a Fundação Calouste Gulbenkian, Nova SBE, instituto Kaizen, Maze, Portugal Inovação Social, entre outros. “Estamos cada vez mais perto de criar o modelo que nos vai permitir atingir milhares de jovens em simultâneo no mundo inteiro”, acredita Diogo Mendes.

A U.Dream é um projeto de voluntariado de universitários criado em 2013, que conta com mais de 600 estudantes do Porto, Braga, Aveiro e Lisboa, e que tem o objetivo de os aproximar aos problemas das suas comunidades, responsabilizá-los pelo que acontece de errado ao seu lado e ajudá-los a compreender as suas paixões e competências, para transformar as comunidades a sua vida.

A U.Dream é um projeto que desenvolve competências de liderança social em estudantes do ensino superior naquelas quatro cidades, colocando esses estudantes a servir as suas comunidades (idosos, crianças de lares, apoia crianças e famílias com diversas patologias, emigrantes, sem-abrigo). O objetivo do projeto é garantir que no fim do caminho de “serviço e empoderamento pessoal” os jovens descubram qual é a sua missão social.