A Citroën, de longe a marca da PSA com maior tradição em veículos topos de gama, ou não tivesse esta marca francesa lançado modelos como o “boca de sapo” e os SM, CX e XM, volta a possuir um digno porta-estandarte. E como é hábito no construtor do double chevron, o C5 X volta a recorrer a uma carroçaria de cinco portas, com um imenso portão posterior, para aliciar simultaneamente os condutores que procuram uma berlina de luxo com a versatilidade de uma carrinha.

Mas a Citroën quis ir mais longe na sua ânsia de alargar a base de potenciais clientes, pelo que o C5 X, além de piscar o olho aos clientes das berlinas e das carrinhas, visa cativar igualmente quem dá preferência aos crossovers, as versões mais civilizadas dos SUV que mantêm algumas características para circular mais à vontade em estradas de terra, mas sem incrementar excessivamente a altura e o peso, de forma a não comprometer a agilidade de comportamento.

Dimensões generosas e atitude de crossover

O novo C5 X é baseado no protótipo CXperience Concept, apresentado em 2016, com a versão definitiva a surgir como um veículo atraente e em linha com a tradição do construtor em modelos desta bitola. A assinatura luminosa é uma evolução da introduzida pelo C4, com o Citroën a reivindicar um comprimento generoso, de 4,805 m, o que coloca as dimensões do C5 X ligeiramente acima, por exemplo, do comprimento anunciado pelo Peugeot 508 berlina (4,750 m) e carrinha (4,778 m).

Concebido sobre a plataforma EMP2, na versão 3, a mesma que é utilizada no SUV C5 Aircross com a versão long wheel base comercializado na China, o C5 X exibe uma distância entre eixos de 2,785 m, o que assegura um maior espaço para as pernas de quem se senta atrás e uma mala com 545 litros. E para fazer justiça ao reclamado estatuto de crossover, a Citroën anuncia que a distância ao solo do C5 X é superior entre 4 e 7 cm à de uma berlina convencional do segmento D. Isto apesar de não recorrer a suspensões pneumáticas, mas sim com batentes hidráulicos para maior conforto, nas versões mais simples, ou com suspensão activa à custa de amortecedores pilotados, para melhorar o conforto e o comportamento, nas versões mais sofisticadas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

9 fotos

O interior promete ser luminoso dado a grande superfície vidrada, especialmente quando é montado o tejadilho panorâmico, com o C5 X a oferecer condução semi-autónoma de nível 2, como já existe noutros modelos do grupo, conjugando o cruise control adaptativo com o lane centering. O painel de instrumentos é obviamente digital, com o condutor a ter acesso a informações adicionais afixadas no pára-brisas, através de um head-up display com realidade aumentada. Apesar da dimensão do habitáculo, não haverá versão com sete lugares.

Motores a gasolina, PHEV e talvez EV

Consciente que o segmento D já consumiu 80% de motores diesel, percentagem que hoje representa apenas 50% e que ameaça cair para 10% dentro de 2 ou 3 anos, o que poderá implicar uma contínua queda do valor residual dos veículos equipados com motores a gasóleo, a Citroën aposta numa mecânica híbrida plug-in (PHEV), com 225 cv, já conhecida na marca, apoiando-se num motor 1.6 sobrealimentado a gasolina com 180 cv, associado a uma unidade eléctrica com 110 cv, com os franceses a assegurarem uma autonomia em modo eléctrico de 50 km.

Motores diesel não vão figurar na gama, mas surgirão motores a gasolina, nas versões mais acessíveis, face à já mencionada motorização PHEV. A Citroën admite que, se na fase de arranque da comercialização só será oferecida uma versão PHEV, com apenas tracção à frente, nada impede que surja mais tarde um PHEV com tracção integral e 300 cv, tecnologia que existe igualmente no banco de órgãos da PSA.

Questionada se posteriormente poderá vir a ser disponibilizada uma versão 100% eléctrica, a Citroën avança que “não está prevista essa solução”. Resta saber se esta posição se vai manter no futuro, uma vez que também tudo indicava que o novo Peugeot 308 não teria uma versão exclusivamente a bateria, mas agora parece que pode ser feita uma marcha-atrás nesta matéria, uma vez que a plataforma o permite.

O novo Citroën C5 X irá abrir o período de encomendas em Outubro, para as primeiras unidades começarem a chegar a clientes logo a partir do início de 2022.