A Fórmula 1 anunciou esta quinta-feira seis novos “F1 Insights”: estatísticas em tempo real, demonstradas em gráficos durante a corrida, que acabam por revolucionar a transmissão dos Grandes Prémios numa altura em que as provas são essencialmente um espetáculo televisivo, devido à pandemia. O primeiro “Insight” a estrear-se vai surgir nos ecrãs dos fãs já na próxima etapa, este fim de semana em Imola, e detalha os timings das travagens de cada piloto.

O novo pacote de estatísticas significa que o Campeonato do Mundo vai agora contar com um total de 18 “Insights”, num projeto que é uma parceria entre a Fórmula 1 e a Amazon Web Services (AWS). A ideia das novas estatísticas disponíveis na atual temporada de 2021 é usar a tecnologia, incluindo machine learning, para ajudar os espectadores a perceber melhor os resultados das corridas e a comparar carros, equipas e pilotos.

Um sucessor, uma aposta, um regresso e um apelido: o Mundial que pode tornar o melhor no melhor de sempre

Estes “Insights” acrescentam uma dimensão em tempo real às estatísticas e contextualizam todos os dados de cada corrida, algo que permite apreciar de outra forma os momentos-chave de cada pista: cada carro tem mais 300 sensores, que geram mais de 1,1 milhões de informações por segundo, que por sua vez a Fórmula 1 transmite dos carros para as boxes e depois para a AWS, para serem processadas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O primeiro “F1 Insight” a estrear-se, dentro deste novo pacote, é então o Braking Performance, que demonstra o estilo de travagem de cada piloto e a forma como uma manobra numa curva pode garantir uma vantagem ou perder uma posição. Além disso, os gráficos vão também mostrar a maneira como o carro e o piloto trabalham em conjunto durante as curvas, no que toca à velocidade na abordagem, à diminuição da aceleração e à imensa força G que afeta quem está a conduzir os monolugares. O Braking Performance vai assim completar o já existente Corner Analysis, que revela como cada carro aborda fisicamente cada curva. Os outros cinco “Insights” que vão estrear-se ao longo da temporada, entre abril e dezembro, são então os seguintes:

  • Car Exploitation: vai mostrar quando é os pilotos estão a levar os carros ao limite em áreas como a tração, a travagem, a aceleração e as manobras em momentos-chave da corrida. Vai surgir pela primeira vez no fim de semana de 11 a 13 de junho, no Grande Prémio do Canadá;
  • Energy Usage: vai mostrar como é que os motores de cada carro utilizam energia durante a corrida, incluindo os momentos em que as equipas gastam mais energia para ultrapassar um adversário. Revela a carga da bateria que cada monolugar tem em cada momento da etapa. Vai surgir pela primeira vez no fim de semana de 16 a 18 de julho, no Grande Prémio da Grã-Bretanha;
  • Start Analysis: vai mostrar que pilotos são os mais rápidos no arranque, assim como aqueles que tiveram mais dificuldades na saída da grelha de partida. Vai surgir pela primeira vez no fim de semana de 10 a 12 de setembro, no Grande Prémio de Itália;
  • Pitlane Performance: vai analisar cada pit stop e acrescentar alguma emoção a tudo o que acontece dentro das garagens e não é imediatamente visto na transmissão televisiva. Vai surgir pela primeira vez no fim de semana de 8 a 10 de outubro, no Grande Prémio do Japão;
  • Undercut Threat: vai ajudar a antecipar que carros estão em risco de ser ultrapassados através de um undercut, ou seja, em risco de ser superados por um adversário que vai à box mudar de pneus para utilizar essa vantagem em voltas mais rápidas. Vai surgir pela primeira vez no fim de semana de 19 a 21 de novembro, no Grande Prémio da Austrália.
F1 Grand Prix of Bahrain

O Campeonato do Mundo de 2021 arrancou no final de março, com o Grande Prémio do Bahrain, onde Lewis Hamilton venceu

“Os ‘F1 Insights’, apoiados pela AWS, vão dar aos fãs uma imagem interior de como o carro, o piloto e a equipa funcionam juntos, para que possam apreciar melhor a ação na pista. Com este novo pacote de estatísticas em 2021, vamos mais ao fundo do que alguma vez fomos. Os novos ‘Insights’, como o Braking Performance ou o Undercut Threat, mostram várias camadas das estratégias e das performances e usam visualizações avançadas que tornam o desporto automóvel ainda mais compreensível e entusiasmante. A tecnologia está sempre a melhorar e, graças à AWS, os nossos fãs podem apreciar como essa tecnologia tem impacto nos resultados das corridas”, explicou Rob Smedley, diretor de Data Systems da Fórmula 1 e antigo engenheiro da Ferrari e da Williams, ao Observador.