Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O sorteio não tinha sido propriamente o melhor para Joana Ramos mas, depois da medalha de bronze ganha no Grand Slam de Tbilissi, havia uma secreta esperança em mais um capítulo histórico da atleta de 39 anos que voltou recentemente aos pódios de grandes competições internacionais mais de dois anos depois. No final, imperou a lei do mais forte e a judoca portuguesa ficou mesmo de fora da luta pelas medalhas no Europeu.

Joana Ramos, 21.ª do ranking, começou por derrotar a georgiana Tetiana Levytska-Shukvani por ippon, ficando assim apurada para a segunda ronda onde teria pela frente Odette Giuffrida, campeã em título e vice-campeã olímpica. A italiana, quarta do ranking, acabou por levar beneficiando da terceira penalização à portuguesa numa altura de golden point, dando assim mais um passo para chegar às meias-finais.

Antes, na mesma categoria de -52kg, Joana Diogo, 91.ª do ranking, tinha sido afastada logo no primeiro combate contra a também georgiana Mariam Janashvili por ippon.

Em atualização

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR