Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma solitária rainha, num canto da capela de São Jorge é provavelmente uma das imagens mais fortes saídas da tarde deste sábado. Estrategicamente afastada dos restantes 30 convidados da cerimónia fúnebre que marcou a despedida do príncipe Filipe, dadas as medidas de segurança impostas pela pandemia, Isabel II contou no entanto com um precioso apoio numa dura hora, apesar da sua discreta presença — o mesmo que em 2012, durante um evento particularmente chuvoso, aconchegou os ombros da monarca com uma providencial écharpe.

O mais imperturbáveis possível, face ao batalhão de câmaras pelo caminho, a monarca chegou à Capela de São Jorge no Bentley real acompanhada pela sua dama de companhia, a inseparável Susan Hussey, depois de uma viagem sobre rodas que terá tido tanto de breve como de arrepiante, entre a Porta da Soberana e o Pórtico de Galileu.

TOPSHOT-BRITAIN-ROYALS-PHILIP-FUNERAL

Isabel II seguiu o cortejo no interior do seu Bentley, acompanhada pela sua dama de companhia © Getty Images

No passado mais recente, quando a Covid-19 veio alterar a rotina de uma rainha nonagenária, Hussey fez parte do restrito grupo de cerca de 20 funcionários que compuseram a chamada “bolha real”, a mesma que zelou por Isabel II e pelo duque de Edimburgo durante o período de confinamento no Castelo de Windsor.

Aos 81 anos, quase 82, a viúva do ex-presidente da BBC Marmaduke Hussey mantém um sólido vínculo com a família real britânica. Lady Susan não só figura entre a lista de padrinhos do duque de Cambridge como participou da sua confirmação, em 1997. E neste dia a importância do seu papel não passou despercebida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se a identificou apenas no interior do veículo que transportou sua majestade, há boa razão para isso: a dama de companhia da monarca não fez parte do elenco de convidados para esta tarde, apresentando-se na condição de empregada real. Lady Susan não ocupou portanto nenhum dos lugares visíveis na nave da capela, durante a missa, mantendo-se no entanto a um ligeiro passo da rainha, em caso de ser necessária a sua assistência.

O The Telegraph escreve que Hussey, que tem estado ao lado de Isabel II desde o nascimento do príncipe André, em 1960, quando se juntou à família real para ajudar com o mar de correspondência, foi escolhida especialmente pela rainha para esta missão. Conhecida carinhosamente como “Number One Head Girl” tem sido um dos rostos de maior confiança da monarca na sua idade mais avançada.

The UK Observes Remembrance Sunday

Com Kate Middleton, em 2012 © Getty Images

Acompanhar a soberana em momentos de carácter privado ou pessoal e entregar-lhe a correspondência são apenas algumas das tarefas associadas. Em eventos oficiais, Hussey, cuja função não é remunerada, pode assegurar missões tão díspares como entregar dinheiro ou segurar um bouquet de flores oferecido a sua majestade. Em 2012, por exemplo, alinhou ao lado da família no Dia da Memória.

Como recorda o Daily Mail, foi Lady Susan, em 2001, quem fez chegar à rainha uma moeda de uma libra para que a monarca pudesse comprar uma edição de The Big Issue durante uma visita a Brighton..