Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ainda que possa parecer estranho que alguns dos engenheiros mais competentes e bem remunerados da indústria automóvel usem um jogo concebido para crianças para testar as suas tecnologias mais inovadoras, a realidade é que as primeiras ideias que conduziram às actuais mecânicas híbridas (HEV) e híbridas plug-in (PHEV) da Renault foram testadas com recurso ao Lego Technic.

Segundo o responsável pela arquitectura híbrida do construtor francês, Nicolas Fremau, depois de surgir a necessidade de desenvolver um sistema simples, mas acessível e eficaz, capaz de ser utilizado simultaneamente em mecânicas HEV e PHEV,  foi um jogo que esteve na origem da solução encontrada.

Vi o meu filho brincar com Lego Technic e resolvi adquirir as peças de que necessitava e usar o jogo para testar o nosso projecto”, confessou Fremau.

Instalando os diferentes eixos, transmissões, encaixando umas peças aqui e colando outras ali, recorrendo depois a um pequeno motor eléctrico para fazer tudo funcionar, Fremau descobriu alguns pontos fracos no projecto, que não tinham sido detectados na análise teórica e que foi necessário alterar. E é exactamente para isto que se constroem protótipos, sendo que desta vez a novidade é o recurso ao Lego.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A solução HEV e PHEV encontrada pela Renault, que contou com a colaboração dos engenheiros responsáveis pela mecânica dos carros de F1 desenvolvidos pela marca para ultrapassar os maiores desafios, caracteriza-se por possuir uma caixa de velocidades com três mudanças reais que se transformam em 15. As três mudanças ajudam a conter os “escorregamentos” de que enfermam as soluções da concorrência, mas para perseguir uma maior eficiência esta caixa abre mão de tudo o que pode absorver potência e elevar o consumo, da embraiagem aos sincronizadores, com os carretos a serem agora de dentes direitos, como os utilizados na competição, em vez dos tradicionais helicoidais, usados por serem menos ruidosos.

Estes Renault têm caixa de 15 velocidades e a magia da Fórmula 1

A caixa da Renault para as mecânicas híbridas está associada a três motores em simultâneo, pois para além do motor 1.6 atmosférico a gasolina com 91 cv, que trabalha segundo o ciclo Atkinson (que sacrifica potência por uma maior eficiência), está ligada a um motor eléctrico com 49 cv que visa ajudar o motor de combustão. Há um terceiro motor eléctrico, que debita 20 cv nos modelos HEV e 34 cv nos PHEV, que garante o sincronismo da caixa, modula as mudanças “eléctricas” e ainda faz de motor de arranque.