Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois de quase 400 dias de encerramento de fronteiras, a Austrália e a Nova Zelândia voltam a encontrar-se, através de uma “bolha aérea” que permite viagens sem restrições entre os dois países. Entre lágrimas e sorrisos, o aeroporto de Auckland, na Nova Zelândia, viu chegar centenas de pessoas que reencontraram familiares e amigos, depois de um longo período de afastamento causado pela pandemia.

Jacinda Ardern, primeira-ministra da Nova Zelândia, olha para esta segunda-feira como “um grande dia para as famílias e seus amigos”, enfatizando as políticas eficazes contra a Covid-19 nos dois países.

O acordo entre a Austrália e a Nova Zelândia permite que os passageiros voem sem a necessidade de respeitar uma quarentena obrigatório na chegada ao destino.

Segundo o governo australiano, está a ser estudada a possibilidade de se criarem outras “bolhas” de viagem, com países como a Coreia do Sul ou o Japão. Já a Nova Zelândia está a trabalhar para permitir o acesso sem restrições aos habitantes de pequenos países do Pacífico, como as ilhas Cook ou Tuvalu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR