As pessoas que estejam totalmente vacinadas contra a Covid-19 (duas doses, no caso da maior parte das vacinas) podem ajustar as medidas não farmacológicas, gradualmentedefende o Centro Europeu para a Prevenção e Controlo da Doença (ECDC). Isto quer dizer que, aos poucos, vai ser possível relaxar as medidas impostas em relação ao uso de máscaras e distanciamento social.

Embora o relaxamento das medidas de proteção deva ser feito gradualmente e com base em avaliações cuidadosas dos riscos envolvidos, estamos confiantes de que o aumento da cobertura de vacinação terá um impacto positivo e direto no retorno à vida normal”, disse Andrea Ammon, diretora do ECDC.

A recomendações do ECDC destinam-se, sobretudo, a encontros entre dois indivíduos, agregados familiares ou bolhas sociais e preveem quatro tipos de cenários:

  1. O uso de máscara e distanciamento social pode ser aliviado quando pessoas totalmente vacinadas se encontrarem com outras pessoas na mesma situação;
  2. O uso de máscara e distanciamento social pode ser aliviado quando pessoas totalmente vacinadas se encontrarem com pessoas não vacinadas, desde que não tenham fatores de risco para desenvolver doença grave.
  3. O uso de máscara e distanciamento social deve ser mantido nos encontros entre pessoas vacinadas e não vacinadas (ou só não vacinadas) que incluam idosos, pessoas com risco acrescido de desenvolver Covid-19 grave ou onde haja uma elevada circulação das novas variantes do vírus.
  4. O uso de máscara e distanciamento social deve ser mantido, quer as pessoas estejam vacinadas ou não, nos espaços públicos ou nos casos de ajuntamentos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O ECDC acrescenta que as autoridades de saúde podem deixar de exigir prova de teste negativo ou quarentena às pessoas totalmente vacinadas que estejam em viagem ou testes regulares nos locais de trabalho.

Na base destas recomendações está o risco reduzido (ou muito reduzido) de as pessoas totalmente vacinadas desenvolverem formas graves da doença Covid-19 ou mesmo de transmitirem o vírus a pessoas não vacinadas — embora, neste caso, os dados disponíveis ainda sejam limitados.

A agência alerta, no entanto, que a cobertura vacinal na Europa (com exceção do Reino Unido) ainda é muito baixa e que a transmissão do vírus ainda é alta. O alívio das medidas deve ser por isso gradual e ponderado e acontecer dentro das bolhas sociais e familiares.