Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A cadeia de tweets dedicados ao príncipe Filipe, que morreu a 9 de abril aos 99 anos, foi finalmente interrompida por uma referência a Isabel II, que esta quarta-feira celebra 95 anos. A fotografia da rainha publicada na conta de Twitter que comunica oficialmente a família real — e que foi depois partilhada nas redes sociais de membros seniores da família como o príncipe de Gales e os duques de Cambridge — é acompanhada de uma curta legenda: “Hoje é o 95.º aniversário da rainha (…) Este ano, a rainha permanece no Castelo de Windsor durante o período de luto real após a morte do duque de Edimburgo”.

Foi também através das redes sociais que a monarca aproveitou a ocasião para agradecer as mensagens de parabéns e aquelas dedicadas ao marido. “Embora enquanto família estejamos num período de grande tristeza, tem sido um conforto para todos nós ver e ouvir as homenagens prestadas ao meu marido”, lê-se no comunicado assinado por Isabel, onde agradece em nome da família todo o apoio mostrado nos últimos dias. “Ficámos profundamente comovidos e continuamos a ser lembrados de que Filipe teve um impacto extraordinário em inúmeras pessoas ao longo da sua vida.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar da data marcante  — afinal, são 95 anos —, as celebrações vão ser reduzidas ao máximo por causa da pandemia e da ainda muito fresca despedida de Filipe, cujo funeral emotivo aconteceu no sábado. Este é o segundo aniversário que a rainha passa no contexto da crise sanitária, mas é o primeiro sem o marido que a acompanhou durante 73 anos. E se já em 2020 Isabel II optou por deixar de lado as tradicionais salvas de tiros e de canhões, que considerou serem inapropriadas no contexto pandémico, este ano não haverá também a foto oficial que assinala o aniversário de sua majestade.

O desfile Trooping the Colour, que habitualmente acontece em junho e que celebra oficialmente o aniversário da rainha, também não vai acontecer devido à pandemia. No entanto, em cima da mesa está a hipótese de uma parada alternativa no pátio do Castelo de Windsor, que este sábado recebeu militares de diferentes forças que ali marcaram presença para homenagear o duque de Edimburgo.

Sem salvas ou foto oficial, e rodeada dos mais próximos: os planos para o 95º aniversário de Isabel II em tempo de luto

Tal como já tinha sido especulado na imprensa, Isabel II passará o dia de aniversário no Castelo de Windsor na companhia da restrita bolha de empregados. A rainha deverá ainda receber alguns dos membros da família real que vivem mais perto, como o príncipe André ou os condes de Wessex, além de passear os cães na respetiva propriedade. No entanto, Carlos, que está na sua casa no país de Gales, não deverá marcar presença, e William também não é esperado em Windsor, escreve o Daily Mail.

O mesmo jornal esclarece que Harry regressou a Montecito, na Califórnia, na terça-feira. O duque de Sussex ainda se terá sentido dividido entre ficar para o aniversário da avó ou voltar para junto da mulher, Meghan Markle, grávida de uma menina que vai nascer no verão — foi o avançado estado de gravidez que impossibilitou que Meghan estive presente no funeral do duque de Edimburgo. A cisão entre Harry o pai e o irmão ainda estará por resolver, mesmo depois da conversa de horas que os três tiveram, um encontro a que não terá faltado a rainha. Regressado aos EUA, Harry terá de se sujeitar a mais uma quarentena, com a duração de 10 dias.

Entretanto, Boris Johnson, que cedeu o seu lugar no funeral de sábado em favor da família real, partilhou um tweet nas primeiras horas desta quarta-feira para desejar um feliz aniversário a Isabel II, onde afirma que sempre sentiu uma grande admiração pela rainha e pelo serviço prestado ao país e à Commonwealth. “Tenho orgulho em servir enquanto o seu primeiro-ministro.”

Isabel não nasceu para ser rainha, mas herdou a responsabilidade na sequência da abdicação do tio, Eduardo VIII, e da morte do pai, Jorge VI do Reino Unido. Em 2022, Isabel II celebrará 70 anos no trono britânico.