Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A terceira edição do renovado festival de música Matosinhos em Jazz, que chegou a estar prevista para o verão de 2020, não se realizará em 2021. O anúncio é feito pela organização, que dá conta do adiamento do evento para 2022.

O motivo do adiamento volta a ser, tal como no ano passado, a situação de saúde pública que o país vive devido à pandeia da Covid-19. Citado em comunicado, o vice-presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Fernando Rocha, defende que o adiamento é necessário “para que todos fiquem bem e em segurança”.

Queremos continuar a apostar no futuro. Todavia, para 2021 as condições não estão reunidas”, refere o vice-presidente da câmara municipal de Matosinhos.

O festival tem vindo a crescer desde que voltou a realizar-se — em 2018 — e este verão volta a não haver condições para acolher concertos no Jardim Basílio Teles, localizado na cidade e município do distrito portuense.

Nas últimas edições o Matosinhos em Jazz proporcionou concertos de músicos e bandas como o teclista britânico Joe Armon Jones, o pianista Mário Laginha, o cantor Salvador Sobral, o saxofonista Ricardo Toscano, a trompetista Susana Santos Silva e o guitarrista e multi-instrumentista Bruno Pernadas, entre outros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR