A Frente Comum anunciou esta terça-feira uma greve da função pública para dia 20 de maio em defesa do aumento dos salários, da revogação do sistema de avaliação (SIADAP) e da revisão da tabela remuneratória única (TRU).

Em conferência de imprensa, o coordenador da Frente Comum, Sebastião Santana, disse que esta “não foi uma decisão tomada de ânimo leve”, antes resulta de um longo período de falta de resposta aos problemas”.

Além de uma greve de 24 horas, o dia de luta nacional ficará também marcado por uma concentração de trabalhadores em frente ao Conselho de Ministros, em Lisboa.

O pré-aviso de greve não abrange o setor da saúde devido ao contexto pandémico, mas espera-se que os trabalhadores possam participar em ações neste dia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Frente Comum, que pertence à CGTP, já tinha ameaçado, no início de abril, com uma ação de luta nacional para dia 20 de maio, se até lá não obtivesse respostas do Governo relativamente ao seu caderno reivindicativo. A intenção acaba, agora, por ser concretizada neste pré-aviso de greve.

Frente Comum marca ação nacional de luta para 20 de maio