Marcelo Rebelo de Sousa convidou o ex-Presidente da República Ramalho Eanes para presidir às cerimónias de comemoração dos 50 anos do 25 de Abril, para a partir do próximo ano. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo jornal Inevitável, que refere que convite foi feito por telefone.

Os 50 anos do 25 de Abril assinalam-se apenas em 2024, contudo, em março de 2022 atinge-se um marco histórico, quando a democracia superar a duração da ditadura do Estado Novo.

Ramalho Eanes na TVI: a guerra, as tentativas de “sanear a história”, os “ideólogos pseudo-esquerdistas” e um elogio a Marcelo

Nesse sentido, as comemorações começam já no próximo ano, e Marcelo Rebelo de Sousa quer que Ramalho Eanes, o primeiro Presidente eleito após o 25 de Abril, presida às comemorações, que se vão estender até 2026, ano em que se assinalam os 50 anos da Constituição da República. De acordo com o jornal Inevitável, Ramalho Eanes ainda não deu ma resposta definitiva ao Presidente, mas a expectativa é que a mesma seja positiva.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ramalho Eanes, de 86 anos, foi o único antigo Chefe de Estado a marcar presença na cerimónia de celebração do 25 de Abril na Assembleia da República — Jorge Sampaio justificou a sua ausência devido a questões de saúde para não estar presente, Aníbal Cavaco Silva invocou precauções com a pandemia de Covid-19.

Entrelinhas. Marcelo foi ao passado fazer as pazes com a história, Ferro declarou guerra ao presente

Durante o seu discurso, aplaudido à esquerda e à direita, na sessão solene, Marcelo Rebelo de Sousa deixou fortes elogios ao papel de Ramalho Eanes na consolidação da democracia, referindo-se ao ex-Presidente da como uma “peça chave na mudança de regime”.