Os trabalhadores do Metro de Lisboa entregaram esta quinta-feira um pré-aviso de greve para dia 25 de maio, uma vez que as negociações salariais falharam, anunciou a FECTRANS, especificando que a paralisação irá decorrer sobretudo da parte da manhã.

Os trabalhadores do Metro de Lisboa tinham mandatado, em 22 de abril, após plenário, os sindicatos para encetarem ações caso o conselho de administração da empresa não aceitasse a contraproposta relacionada com as negociações salariais.

Em causa está a valorização salarial e a valorização das carreiras, além do preenchimento imediato do quadro operacional e as progressões na carreira.

Em comunicado, a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) avançou que a greve de 25 de maio vai realizar-se das 5h00 às 9h30, para a generalidade dos trabalhadores e das 9h30 às 12h30 para o setor administrativo e técnico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na nota, o sindicato alerta também que os trabalhadores reivindicam a efetivação do direito ao transporte, o estrito cumprimento de todas as cláusulas do Acordo de Empresa, além da prorrogação da vigência do Acordo de Empresa.

Segundo a FECTRANS, até ao início da greve “existirá total disponibilidade, caso convirjam as vontades, para que se encontrem as melhores soluções para os trabalhadores e para a empresa”.