478kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Vinho Petrus que estagiou no espaço está à venda na Christie's

Este artigo tem mais de 1 ano

A venda é privada, mas a leiloeira espera alcançar 1 milhão de dólares. A colheita de 2000 do conhecido vinho Petrus esteve em órbita durante 14 meses e regressou à terra em janeiro.

FRANCE-SPACE-WINE
i

Os vinhos foram posteriormente analisados por cientistas e por um grupo de provadores no Instituto de Ciências da Vinha e do Vinho da Universidade de Bordéus em março

PHILIPPE LOPEZ/AFP via Getty Images

Os vinhos foram posteriormente analisados por cientistas e por um grupo de provadores no Instituto de Ciências da Vinha e do Vinho da Universidade de Bordéus em março

PHILIPPE LOPEZ/AFP via Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tivesse o vinho ficado em terra e continuaria a ser um estrondo nos bolsos de um comum mortal. Mas a história deste Petrus é bem diferente. Depois de ter passado 14 meses no espaço, a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês), a colheita de 2000 está à venda em Londres, através da leiloeira Christie’s que espera arrecadar perto 1 milhão de dólares (cerca de 830 mil euros).

Estes vinhos e vinhas regressam à terra após um ano de missão espacial

A garrafa de vinho oriunda de Bordéus, em França, esteve a orbitar o planeta terra durante mais de um ano como parte de um estudo com financiamento privado sobre alimentos e agricultura, parte integrante do projeto científico liderado pela startup Space Cargo Unlimited.

FRANCE-SPACE-WINE

Três garrafas foram abertas em março no Instituto de Ciências da Vinha e do Vinho da Universidade de Bordéus

PHILIPPE LOPEZ/AFP via Getty Images

O Petrus 2000 vai estar disponível em venda privada e, após a aquisição, será acompanhado de uma outra colheita que não chegou a descolar da terra (bem como de um saca-rolhas “feito de um meteorito”) — a ideia é que seja possível comparar os dois Petrus com e sem estágio no espaço. O vinho espacial vai ser vendido numa éspecie de mala desenhada pelo Les Ateliers Victor em Paris, resultado de mais de 900 horas de trabalho, de acordo com a Decanter.

Ao todo, 12 garrafas estiveram à boleia da ISS desde novembro de 2019. Ao fim de mais de 400 dias no espaço, e em gravidade zero, regressaram em janeiro deste ano. Os vinhos foram posteriormente analisados, em março, por cientistas e por um grupo de provadores no Instituto de Ciências da Vinha e do Vinho da Universidade de Bordéus.

© christiesinc/Instagram

À BBC, Jane Anson, jornalista e autora do livro “Inside Bordeaux: The Châteaux, Their Wines and the Terroir”, uma das pessoas que teve oportunidade de participar na prova, não sabe dizer se o espaço transformou o vinho para melhor ou pior, mas salienta que está “definitivamente diferente”, com notas mais florais e até fumadas. É também ela quem lembra — e bem — que o Petrus tem uma grande capacidade de envelhecimento, pelo que foi uma escolha sensata levá-lo a estagiar entre as estrelas.

Apesar de serem uma dúzia de garrafas, apenas um vinho será vendido — três deles foram abertos na sequência de provas e os outros oito serão usados em investigação futura. Os lucros da venda da Christie’s serão canalizados para financiar mais experiências da Space Cargo Unlimited no espaço.

Loja Observador Lifestyle

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.