Os Estados Unidos exortaram à redução das tensões em Jerusalém, apelando a Israel para que “evite” o despejo de famílias palestinianas em favor dos colonos israelitas, depois dos confrontos desta sexta-feira que provocaram 53 feridos.

“Estamos profundamente preocupados com o aumento das tensões em Jerusalém”, disse a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Jalina Porter, aos jornalistas.

Porter lembrou que a preocupação de Washington está sobretudo relacionada com os eventuais despejos das famílias palestinianas dos bairros de Jerusalém Oriental, “muitas das quais lá vivem há gerações”.

À medida que entramos num período sensível […], é crucial promover uma desaceleração das tensões e evitar um confronto violento”. Dissemos repetidamente que é crucial evitar medidas unilaterais que podem exacerbar as tensões ou afastar-nos ainda mais da paz, e isso inclui despejos e atividades relacionadas com colonatos”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta sexta-feira, a Esplanada das Mesquitas, o terceiro local mais sagrado do Islão em Jerusalém Oriental, foi palco de confrontos “violentos” entre palestinianos e a polícia israelita, que provocaram 53 feridos, segundo os serviços de emergência palestinianos, estando 23 hospitalizados. O porta-voz da polícia israelita, Wassem Badr, igualmente citado pela agência de notícias francesa, disse terem sido “violentos”.

Dois feridos em confrontos entre a polícia israelita e palestinianos na Esplanada das Mesquitas