Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A campanha de vacinação bem sucedida no Reino Unido e uma situação epidemiológica aparentemente controlada, permitem agora às autoridades britânicas um apertar da malha em relação ao uso à vacina da AstraZeneca. Na Alemanha, pelo contrário, a lentidão na campanha de vacinação e o número de casos diários que se mantém acima dos 15 mil fez com que se acabassem as restrições ao uso desta vacina. Portugal, por sua vez, tem a situação epidemiológica controlada e, por enquanto, vacinas suficientes para dar e mantém a recomendação acima dos 60 anos — mas já tem um plano B.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.