O presidente da Câmara de Miranda do Douro mostrou-se este domingo satisfeito com o regresso dos turistas espanhóis à cidade, considerando que a quarta fase de desconfinamento representa “novas oportunidades” para a economia do concelho.

“No sábado já se viam muitos espanhóis a passear pela cidade e os restaurantes estavam praticamente cheios e os comércios já tinham procura. Esta quarta fase de desconfinamento vai trazer novas oportunidades à economia do concelho”, disse à Lusa Artur Nunes.

Após a avaliação semanal da curva do contágio da Covid-19 em Portugal, realizada na quinta-feira, Miranda do Douro, no distrito de Bragança, foi um dos concelhos que transitou para a quarta fase, dado que só tem dois casos ativos.

Artur Nunes agradeceu ainda o empenho da população e das todas as autoridades de saúde, proteção civil e GNR para ajudar a debelar os casos de Covid-19.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Estamos lentamente a recuperar o conceito de cidade de turismo fronteiriço e já se veem bastantes pessoas na rua, com as devidas medidas de segurança, a circular um pouco por todo o concelho e a frequentarem restaurantes e o comércio local”, observou o autarca.

Artur Nunes havia pedido ao primeiro-ministro para rever a situação epidemiológica do concelho, por considerar “desajustada” a fórmula de cálculo de casos Covid-19 por 100 mil habitantes para territórios com baixa densidade populacional.

“Esta fórmula de cálculo de incidência de casos Covid-19 está errada. A forma como são apresentados os números também não é correta e prejudica gravemente os pequenos municípios, e o número de habitantes não pode ser a única fórmula para fazer encerrar um concelho do interior”, vincou o também presidente da Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes.

Agora, o autarca pede prudência e vigilância e que os mirandeses acatem a diretivas das entidades competentes de saúde, proteção civil e GNR, para assim poder haver a desejada retoma económica, num concelho que vive essencialmente do turismo transfronteiriço.