Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O CDS vai manter o apoio à candidatura de Rui Moreira à Câmara Municipal do Porto. A garantia é dada por fonte da direção democrata-cristã ao Observador, no dia em que o Tribunal de Instrução Criminal do Porto decidiu levar o atual presidente a julgamento no âmbito do “Caso Selminho”.

Já depois da publicação deste artigo, Francisco Rodrigues dos Santos recorreu ao Twitter para reiterar a confiança no autarca. “Rui Moreira é um político exemplar no cumprimento dos valores éticos na política e na intransigente defesa do interesse público. A sua liderança afirmou o Porto como uma cidade modelo a nível europeu e mundial. Reitero o apoio do CDS à sua pessoa e confio que a Justiça vai reconhecer a conduta irrepreensível que sempre manteve no exercício das suas funções”, escreveu o presidente do CDS.

De acordo com o despacho instrutório a que o Observador teve acesso, Rui Moreira vai responder pelo crime de prevaricação, em concurso aparente com um crime de abuso de poder, incorrendo ainda na perda de mandato.

Segundo o Ministério Público, Rui Moreira, em vez de atuar com “imparcialidade” e defender o “interesse público”, atuou “deliberadamente contra a lei, obrigando o município aos interesses da Selminho, com [a] única intenção de beneficiar a empresa de que o próprio arguido, seus irmãos e sua mãe eram sócios”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois de conhecer a decisão do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, Rui Moreira classificou o caso de “insulto” e “infâmia”. “Esta decisão não muda absolutamente nada, nem na minha maneira de ver o processo, que continuo a entender ser complementa destituído de fundamento, nem na minha posição sobre o assunto em questão: é absolutamente inequívoco que não tive qualquer participação em qualquer processo que estivesse envolvida a minha família e não tomei direta ou indiretamente, ou por qualquer interposta pessoa, qualquer decisão que alterasse a posição do município em qualquer processo judicial”, disse.

Caso Selminho. Rui Moreira vai a julgamento por prevaricação. “Esta decisão não muda absolutamente nada”, diz o autarca

Tiago Mayan expressa solidariedade a Rui Moreira e realça o seu “profundo sentido ético”

Tiago Mayan, da Iniciativa Liberal, reagiu à notícia de Rui Moreira ir a julgamento no caso Selminho e fala em “presunção de inocência”. “Mantenho-me convicto de que nenhum comportamento de Rui Moreira merece sanção criminal ou sequer moral neste caso. Esta minha convicção parte não (só) da consideração genérica da ‘presunção de inocência, mas radica (também) no conhecimento direto que pude desenvolver, ao longo do tempo, do homem e do processo”, lê-se numa publicação no Facebook.

O antigo candidato à presidência da República pela IL sublinha o “profundo sentido ético” do atual autarca do Porto. “O Rui Moreira que conheço, goste-se ou não das suas políticas, é um homem de profundo sentido ético, de probidade a toda a prova e com dedicação à causa pública.”

Para Mayan, o processo “baseia-se num único ato conhecido (de manutenção dos advogados já escolhidos pelo executivo anterior para o caso), partindo daí para processos de intenção que, espera-se agora possa ser comprovado em julgamento, serem totalmente sem fundamento”. No final da nota, o político expressa solideriedade para com o autarca do Porto. “Estou certo que finalmente terá a oportunidade de, em juízo, deixar claro para todos o que já é a minha convicção aqui afirmada.”