Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Governo espanhol está a equacionar levantar a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos no exterior. Esta possibilidade foi adiantada por Fernando Simón, diretor do Centro de Coordenação de Alerta e Emergências de Saúde. Caso a campanha de vacinação e a evolução da pandemia se mantenham ao nível atual, é expectável que a máscara possa deixar de ser obrigatório já no mês de junho.

“A evolução da vacinação e da epidemia diz-nos que é possível que não demoremos muito até podemos fazer proposta claras para retirar a máscara em algumas situações específicas”, afirmou Simón, citado pelo 20 Minutos, quando questionado sobre a possibilidade de Espanha seguir medidas semelhantes às que foram introduzidas em Israel ou nos Estados Unidos.

No entanto, Fernando Simón preferiu não avançar com “datas concretas”, apesar de admitir que o fim da obrigatoriedade da máscara no exterior “não demore muitos dias”, avançando com uma meta: uma incidência de 150 casos de infeção por SARS-CoV-2 por cada 100 mil habitantes.

Quando poderão os portugueses libertar-se das máscaras? Em breve (mas só só vacinados e com algumas condições)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nos últimos 14 dias, a incidência situa-se nos 152 casos por cada 100 mil habitantes. O “semáforo” sobre o estado da pandemia em Espanha deverá ser atualizado nas próximas semanas, altura em que é expectável que o fim da obrigatoriedade do uso das máscaras possa entrar em vigor, dependendo, claro, da evolução da situação epidemiológica até lá.

Nesse sentido, a manter-se a situação atual, o La Vanguardia antevê que a máscara possa deixar de ser obrigatória na rua dentro de um mês a um mês e meio. As autoridades espanholas, no entanto, alertam que, caso esta medida entre mesmo em vigor, tal não significa o fim de outras medidas para combater a Covid-19.

“Dentro de um mês vamos ter números muito favoráveis ​​para a redução de muitas medidas. Algumas podem ser reduzidas mais cedo, desde que outras sejam mantidas”, sublinhou Fernando Simón.

A situação epidemiológica tem melhorado substancialmente em Espanha, sobretudo graças à aceleração da campanha de vacinação.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, 7,2 milhões de espanhóis já receberam as duas doses da vacina, e mais de 15 milhões, ou 32% da população, já receberam pelo menos uma dose. Cerca de 90% da população com mais de 60 anos já tem pelo menos uma dose da vacina. Já na faixa etária entre os 50 e 59, uma em cada quatro pessoas recebeu pelo menos uma dose.

A campanha de vacinação deve ganhar ainda mais gás no próximo mês de junho, quando, segundo o La Vanguardia, Espanha deverá receber mais 17 milhões de doses.