O jornalista da agência Lusa Emanuel Correia, que integrava a redação da Madeira, morreu esta terça-feira, aos 62 anos, na sequência de um acidente vascular cerebral, segundo fonte da família.

Natural da freguesia do Monte, no Funchal, Emanuel Correia era jornalista da Lusa desde abril de 1992, exercendo o cargo de chefe da delegação regional madeirense entre maio desse ano e outubro de 2007. Antes de ingressar nos quadros da agência, trabalhou na redação do Jornal da Madeira. Estava desde segunda-feira internado no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal.

Numa nota aos trabalhadores, a Direção de Informação da Lusa manifestou o seu profundo pesar e destacou “a bondade e o companheirismo” do jornalista, sublinhando que os 29 anos dedicados à agência se confundem com a história da própria empresa, em particular, na Região Autónoma da Madeira.

O Emanuel desempenhou com dedicação o seu trabalho, na Madeira, onde foi delegado durante 15 anos, uma postura que contribuiu, estamos certos, para a notoriedade da Lusa na região, assim como em todo o país”, referiu a Direção de Informação.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Também numa nota aos trabalhadores, o presidente do Conselho de Administração da Lusa, Nicolau Santos, lamentou a morte do jornalista, afirmando que, com o seu empenho e dedicação, Emanuel Correia “contribuiu decisivamente para a implantação, o prestígio e o respeito” que a empresa “desfruta atualmente na Região Autónoma da Madeira”.

“Tendo chefiado a delegação da Lusa na Madeira durante 15 anos, o Emanuel Correia era, para além de excelente profissional, uma pessoa de grande bondade, como atestam todos os que privaram com ele”, lê-se na mesma informação.

Já a Comissão de Trabalhadores da empresa lamentou “profundamente” a morte de Emanuel Correia, jornalista “com décadas de trabalho na Lusa e já recordado pela Direção de Informação como um colega e companheiro a quem todos reconheciam qualidades que agudizam o sentimento de perda”.