A economia da zona euro recuou 1,8% e a da União Europeia 1,7% no primeiro trimestre do ano, face ao período homólogo, com Portugal a apresentar a maior quebra, de 5,4%, segundo uma estimativa do Eurostat.

De acordo com uma estimativa rápida do Eurostat, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o Produto Interno Bruto (PIB) ajustado sazonalmente diminuiu 1,8% na zona euro e 1,7% na UE no primeiro trimestre de 2021, após ter recuado 4,9% e 4,6%, respetivamente, no trimestre anterior. Entre os Estados-membros para os quais há dados disponíveis, Portugal apresentou, nos primeiros três meses do ano, o maior recuo homólogo do PIB (-5,4%), seguido pela Espanha (-4,3%) e Alemanha (-3%).

Segundo estima o Eurostat, face ao trimestre anterior, entre janeiro e março o PIB da zona euro diminuiu 0,6% e o da UE 0,4%, com Portugal a apresentar a maior quebra entre os países para os quais há dados disponíveis (-3,3%), seguido da Letónia (-2,6%) e da Eslováquia (-1,8%). França (1,5%), Lituânia (1,0%) e Eslováquia (0,5%) foram os únicos Estados-membros cujo PIB cresceu face ao primeiro trimestre de 2020.

Na variação trimestral, a Roménia (2,8%), a Bulgária (2,5%) e Chipre (2,0%) foram os países cuja economia mais cresceu nos primeiros três meses do ano.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No que respeita à taxa de emprego, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, esta diminuiu 2,1% na zona euro e 1,8% na UE no primeiro trimestre de 2021, face aos -1,9% e -1,6%, respetivamente, no quarto trimestre de 2020. No primeiro trimestre de 2021, o número de pessoas empregadas diminuiu 0,3% tanto na zona euro como na UE, em comparação com o trimestre anterior. No quarto trimestre de 2020, o emprego tinha aumentado 0,4%, tanto na zona euro como na UE, face ao período anterior.

Excedente no comércio externo na zona euro desce para 15.8000 milhões de euros em março

A zona euro registou um excedente de 15,8 mil milhões de euros no comércio de bens com o resto do mundo em março, face a 29,9 mil milhões de euros no mesmo mês de 2020, divulga nesta segunda-feira o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, as exportações de bens da zona euro ascenderam a 212,1 mil milhões de euros em março de 2021, um aumento de 8,9% em relação ao mês homólogo (194,7 mil milhões de euros), que tinha sido afetado pelas medidas introduzidas pelos Estados-membros para conter a pandemia da Covid-19. As importações foram de 196,3 mil milhões de euros, um aumento de 19,2% em relação a março de 2020 (164,7 mil milhões de euros).

A União Europeia (UE) registou, por seu lado, um excedente de 18,8 mil milhões de euros no comércio externo de bens, face aos 28,3 milhões de euros do mês homólogo. As exportações de bens da UE ascenderam a 195,1 mil milhões de euros em março, um aumento de 10,6% face ao mesmo mês de 2020 (176,4 mil milhões de euros).

As importações do resto do mundo foram de 176,3 mil milhões de euros, mais 19,0% em comparação com março de 2020 (148,1 mil milhões de euros).