Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os presidentes de Sporting, FC Porto e Benfica, assim como os restantes líderes de todos os outros clubes da Primeira Liga, reuniram-se esta terça-feira num almoço na Mealhada promovido pela Liga Portugal. O organismo encabeçado por Pedro Proença convocou uma cimeira de presidentes — que até agora não tinha sido divulgada publicamente — no dia em que também anunciou uma nova Assembleia-Geral, a realizar no próximo dia 2 de junho.

Para além de Frederico Varandas, Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, também os presidentes de P. Ferreira, Belenenses SAD, Marítimo, Moreirense, Estoril, Tondela, Rio Ave e Farense. O presidente do Famalicão juntou-se à reunião mais tarde, onde também esteve o vice leonino Francisco Salgado Zenha, enquanto que António Salvador e Miguel Pinto Lisboa, líderes do Sp. Braga e do V. Guimarães, enviaram representantes.

Pedro Proença confiante de que futebol vai ultrapassar momento complicado

De recordar que, esta segunda-feira, Pedro Proença exigiu “respeito e equidade” ao Governo no tratamento da modalidade, realizando um balanço positivo das competições profissionais após um grande esforço dos envolvidos na sequência das exigências provocadas pela pandemia.

“O futebol existe para os adeptos. É para isso que nós promovemos a nossa atividade e foi absolutamente inaceitável a forma como o futebol foi tratado, na falta de equidade em relação a outras atividades. O futebol tinha todas as condições para ter tido público mais cedo. Os números da pandemia, a forma como evoluíam, permitiam-no. Ninguém compreende que não tivesse acontecido. E aqui, as entidades de saúde pública não trataram o futebol com o respeito que merece”, disse o presidente da Liga em declarações à Agência Lusa, garantindo desde logo que espera que a próxima temporada possa arrancar com público nas bancadas logo na primeira jornada. “Esta é uma exigência que fazemos, para que a próxima época possa começar de forma diferente. Não permitiremos, em momento nenhum, que o futebol continue a ser tratado desta forma. Exigimos o respeito, o respeito aos clubes do futebol profissional”, concluiu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A iniciativa desta terça-feira decorreu no âmbito do movimentos dos clubes que pretende vincar a força do futebol junto das entidades governamentais. Entretanto, os 18 emblemas que vão integrar a Primeira Liga em 2021/22 emitiram um comunicado onde revelaram os temas discutidos na cimeira de presidentes — e que se concentram principalmente na sobrevivência e na sustentabilidade dos clubes. Leia a nota na íntegra:

“Ao longo dos últimos anos, as Sociedades Desportivas têm-se deparado com alterações significativas no desenvolvimento da sua atividade.

As mudanças que afetam as Sociedades Desportivas verificam-se em matérias diversas e que vão do enquadramento jurídico e fiscal, passando pela apropriação por terceiros da comercialização dos direitos televisivos até à completa ausência de apoios relacionados com as consequências dramáticas resultantes do impacto do Covid-19 no setor.

Independentemente da vontade e dos esforços tanto da LPFP, da FPF ou mesmo a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, o resultado final é manifestamente negativo.

É chegado o momento das Sociedades Desportivas se entenderem em matérias estruturantes e que afetam todo o setor, sem intermediários e sem a intervenção de entidades que ultrapassam os seus desígnios e que, por vezes, contra elas concorrem.

Os clubes e as Sociedades Desportivas são aqueles que mais desenvolvem o desporto mais querido em Portugal. São os que assumem riscos, são grandes empregadores e os grandes contribuintes e por isso devem ser respeitados e apoiados.

Mediante um entendimento alcançado entre todos nesta data, quer nos desafios que se colocam, quer nas soluções que importa implementar, os Clubes irão procurar estabelecer um diálogo construtivo com os principais stakeholders do setor e, de forma direta, com o Governo nos aspetos a ele respeitantes.

Os assuntos assumidos como prioritários pelas Sociedades Desportivas são:

1. Acesso de público aos Recintos Desportivos

2. Quadros competitivos

3. Centralização da comercialização dos Direitos Televisivos

4. Conflito de interesses na captação de patrocinadores e espaços publicitários

5. Processo da Autoridade da Concorrência

6. Distribuição das Receitas das Apostas Desportivas

7. Seguro de Acidentes de Trabalho

8. Apoios ao Setor – Fundo de apoio ao Futebol Profissional

9. Apoios ao Setor – Linhas de Financiamento com garantia do estado

10. Fiscalidade – IVA nos ingressos

11. Fiscalidade – Residentes não Habituais

As Sociedades Desportivas signatárias assumem que a resolução das temáticas atrás referidas é absolutamente critica para a sobrevivência do setor e desde já se comprometem a tudo fazer na defesa dos seus legítimos interesses.

Mealhada, 25 de maio de 2021

As Sociedades Desportivas

Sporting Clube de Portugal SAD

Futebol Clube do Porto SAD

Sport Lisboa e Benfica SAD

Sporting Clube de Braga SAD

Futebol Clube Paços Ferreira SDUQ

Santa Clara Açores SAD

Vitória Sport Clube SAD

Moreirense Futebol Clube SAD

Futebol Clube Famalicão SAD

Os Belenenses SAD

Gil Vicente Futebol Clube SDUQ

Clube Desportivo Tondela SAD

Boavista Futebol Clube SAD

Portimonense SAD

Marítimo da Madeira SAD

Rio Ave Futebol Clube SDUQ

Estoril Praia SAD

Futebol Clube Vizela SAD”

(artigo atualizado às 18h09 com o comunicado dos 18 clubes que vão integrar a Primeira Liga 2021/22)