Quatro galerias portuguesas participam a partir desta quarta-feira na Drawing Room Madrid, feira de arte contemporânea que decorre em formato online e presencial, e onde o artista plástico Cruzeiro Seixas será homenageado com uma exposição de desenhos e poesia.

As galerias portuguesas Arte Periférica, Uma Lulik, Trema Arte Contemporânea e Perve, todas de Lisboa, participam no evento que está a decorrer desde 15 de maio online e, a partir desta quarta-feira, também presencialmente, no Palácio de Santa Bárbara, em Madrid, com inauguração prevista para as 18h.

Desenhos, correspondência pessoal e poesia de Cruzeiro Seixas, obras de Ivan Villalobos e Javier Félix e um trabalho colaborativo de criação no local fazem parte do projeto de tributo apresentado pela Perve Galeria ao artista português que morreu em 8 de novembro de 2020, pouco antes de completar cem anos.

Morreu Cruzeiro Seixas, o artista que viu no Surrealismo a única revolução

O projeto surge na sequência do Ciclo de Celebração do Centenário de Cruzeiro Seixas, realizado em Lisboa, e visa “homenagear o mestre surrealista português na capital espanhola através da proposta de diálogo literário e plástico entre o mestre e dois artistas sul-americanos com quem Cruzeiro Seixas privou em vida, e cuja obra plástica reflete o deambular entre o onírico e a psicanálise”, segundo a galeria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao longo da feira, que se prolonga até 30 de maio, os dois artistas irão criar um trabalho colaborativo de larga escala, tendo como ponto de partida a obra de Cruzeiro Seixas, e será lançado o livro-objeto artístico Rei Artur Surreal, edição póstuma limitada a 100 exemplares projetada por Carlos Cabral Nunes e Cruzeiro Seixas.

Com apenas 13 galerias convidadas a participar presencialmente devido às restrições impostas pela pandemia, a feira de arte tem desde 15 de maio a sua primeira edição online com mais 19 galerias, entre elas as portuguesas São Mamede e Maio Art Agency, também ambas de Lisboa.

Todas as galerias representadas em ambos os formatos – de Espanha, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos, Países Baixos, França, Japão, Argentina e Brasil — apresentam exposições de artistas por si representados, nomeadamente, de Portugal, Catarina Patrício, Luís Silveirinha, Carlos Andrade, Conceição Abreu, Diogo Bolota, Paulo Lisboa, Catarina Mil-Homens, ou Carolina Serrano.