Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Velozes e Furiosos” é uma saga onde os carros se batem em protagonismo com os actores que dão vida à sequela. Paul Walker era um dos principais elementos do elenco, interpretando o papel de Brian O’Conner, até que a realidade desafiou a ficção e o actor pereceu vítima de um acidente num Porsche, cuja gravidade, alegadamente, não implicaria um fim trágico como o que aconteceu. A marca alemã optou por indemnizar a família, a família optou por dar luz verde a um documentário pouco abonatório para o construtor de Estugarda.

Oito anos volvidos após esse acidente de desfecho mortal e a polémica que se seguiu ao desastre, eis que o nome de Paul Walker é reanimado a propósito de um dos veículos que estrelou a saga: nem mais, nem menos que “aquele” Toyota Supra cor de laranja que surgiu logo no primeiro filme, em 2001, sempre com Brian O’Conner aos comandos. O desportivo nipónico vai ser leiloado em Las Vegas, nos Estados Unidos da América, entre os dias 17 e 19 de Junho.

A leiloeira responsável pela licitação é a Barret-Jackson, que assegura que esta unidade de 1994 continua a montar o motor original, o conhecido 2JZ-GTE, um seis cilindros em linha de 3,0 litros biturbo, a debitar 325 cv e 441 Nm de binário, acoplado a uma caixa automática de quatro relações.

Um aparatoso acidente de viação tirou a vida a Paul Walker, a 30 de novembro de 2013. O Porsche onde seguia com o amigo Roger Rodas embateu contra uma árvore e incendiou-se

Na realidade, além dos longos minutos de protagonismo de que usufruiu na estreia de “Velozes e Furiosos”, este Supra muito especial voltou a entrar em cena dois anos depois, em 2003. Mas, no segundo filme em que participou, o seu aspecto mudou por completo. Se para a primeira aparição cinematográfica o coupé japonês foi entregue aos cuidados da The Shark Shop – um preparador sedeado em El Segundo (Califórnia), em concreto ao transformador Eddie Paul -, no regresso à saga em 2003, como o bólide de Slap Jack (Michael Ealy), trocou o exterior laranja por uma pintura mais discreta em tons ocre e um kit de carroçaria distinto. Depois disso, o Toyota de Walker regressou às suas anteriores especificações, ou seja, voltou a dar nas vistas na cor Lamborghini Diablo Candy Orange com que, no primeiro filme, Walker deixou para trás um Ferrari 355…

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além disso, o futuro proprietário vai poder contar com o adesivo verde na lateral (o chamado “Nuclear Gladiator”, desenhado por Troy Lee), capot inspirado nas peças da antiga divisão de competição da Toyota (TRD, Toyota Racing Department) e, claro, muitos apêndices. O spoiler dianteiro e as saias laterais são Bomex, enquanto a asa traseira em alumínio é APR. Para completar o conjunto, umas generosas jantes de cinco raios com 19 polegadas.

A leiloeira não avança com nenhum intervalo de licitação, o que deverá animar ainda mais os lances em Las Vegas. De recordar que uma outra empresa, a Mecum, colocou no mercado um outro Supra de “Velozes e Furiosos” em 2015, diferente deste, e essa unidade acabou por ser arrematada por 185 mil dólares. Para que não restem dúvidas do interesse em fazer este “investimento”, a Barret-Jackson realça que a transferência de propriedade será acompanhada pelo fornecimento de extensa documentação ao novo dono e um certificado de autenticidade da viatura.