Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Dois anos depois, Massimiliano Allegri está de regresso à Juventus. O treinador italiano foi confirmado como o senhor que se segue no clube de Cristiano Ronaldo depois de a saída de Andrea Pirlo ter sido anunciada ao longo da manhã desta sexta-feira. Allegri volta a Turim depois de ter saído em 2018/19 e de não ter orientado qualquer outra equipa de lá para cá, deixando para trás um percurso de cinco temporadas em que foi cinco vezes campeão italiano e foi a duas finais da Liga dos Campeões.

“Massimiliano Allegri é outra vez o treinador da Juventus. Massimiliano Allegri é o novo treinador da Juventus. Allegri reencontra um banco que conhece bem, um clube que adora e que o adora a ele, para começarmos uma nova jornada juntos e rumo a novos objetivos. Os troféus alcançados na sua primeira aventura com a Juventus estão gravados na história do clube: cinco Scudettos, quatro dobradinhas consecutivas com a Taça de Itália, duas Supertaças, duas finais da Liga dos Campeões em três temporadas, feitos épicos em Itália e na Europa”, indica o comunicado divulgado pelos bianconeri, que sublinha depois o momento em que o treinador saiu, no final da época 2018/19.

“Dissemos adeus, há dois anos, com a mensagem ‘History Alone’, através do nosso presidente e para o treinador: um abraço e uma camisola onde, em duas palavras, ficava descrita toda a experiência de Allegri na Juve. A beleza da história, contudo, é que nunca pára. E no futebol, isto significa um conceito que temos enraizado no nosso ADN: a melhor vitória é sempre a próxima. Sempre. E agora estamos prontos para recomeçar com Allegri, para construir juntos o nosso futuro; com o seu enorme profissionalismo, a sua força moral, com as ideias brilhantes de um tecnicista, dentro e fora de campo. Com o seu sorriso, uma espécie de assinatura. Com a sua maneira de compreender o futebol e a vida: simplicidade, desejo de jogar, compromisso em aproveitar cada momento bonito que a vida na Juventus pode dar e vai dar”, completa o clube italiano, que termina com um “bem vindo a casa, mister”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante a manhã desta sexta-feira, a Juventus anunciou então a saída de Andrea Pirlo, também através de um longo comunicado. “Obrigado, Andrea. Estas são as primeiras palavras que todos nós devemos pronunciar no final desta experiência especial que vivemos juntos. Há alguns meses, Andrea Pirlo, um ícone do futebol mundial, começou uma nova aventura no banco da Juventus, a sua primeira aventura como treinador. Para o fazer, antes de mais, é preciso coragem, especialmente num período marcado por muitas dificuldades e com o mundo forçado a reinventar as suas regras dia após dias devido à pandemia. O Andrea também o fez: ele começou (e temos a certeza disto: vai ter uma carreira brilhante como treinador) uma jornada de transformação, à procura de trazer as suas ideias e a sua experiência como campeão em campo para o ‘outro lado’ da barricada”, começa por referir o comunicado emitido pelo clube italiano, que não deixa de lembrar que Pirlo conquistou dois troféus ao longo da temporada, a Supertaça e a Taça de Itália.

“Como no futebol o que conta são as vitórias que aparecem no marcador, vamos recordar: em poucos meses, a Juventus conquistou dois troféus e trouxe para casa vitórias brilhantes nos relvados mais prestigiados, desde San Siro a Camp Nou. Por tudo isto, pela coragem, pela dedicação, pela paixão com que encarou cada dia, pelos sucessos obtidos, o nosso agradecimento vem mesmo do coração. Assim como o nosso desejo de boa sorte para um futuro que será seguramente bonito. Obrigado por tudo, Andrea!”, termina a nota divulgada esta sexta-feira no site e nas redes sociais dos bianconeri.

Pirlo chegou ao comando técnico da Juventus no passado mês de agosto, para substituir Maurizio Sarri e com apenas uma breve experiência nos Sub-23 do clube enquanto experiência. Ao longo da temporada, e apesar de ter então conquistado a Supertaça italiana e a Taça de Itália, teve sempre muitas dificuldades para apresentar uma verdadeira ideia de jogo e nunca conseguiu tirar o melhor do conjunto de jogadores que tinha à disposição. Caiu nos oitavos de final da Liga dos Campeões, com o FC Porto, falhou o décimo Scudetto consecutivo e só confirmou a presença na Champions da próxima temporada na última jornada, beneficiando de um empate do Nápoles para conseguir ficar no quarto lugar da Serie A.

A saída do treinador italiano é mais um capítulo da dança das cadeiras que está a acontecer neste final de temporada na Europa. Zidane saiu do Real Madrid e deve ser substituído por Antonio Conte, que por sua vez deixou o campeão Inter Milão e deve ser substituído por Simone Inzaghi, que já deixou a Lazio. Pelo meio, o Tottenham ainda está à procura de um substituto efetivo para José Mourinho, Bruno Lage deve suceder a Nuno Espírito Santo no Wolverhampton e não é certo que Mauricio Pochettino permaneça no PSG.

(artigo atualizado às 15h48 com a confirmação de que será Massimiliano Allegri a substituir Andrea Pirlo no comando técnico da Juventus)