Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal registou nas últimas 24 horas 609 novos casos de SARS-Cov-2, a primeira vez a barreira dos 600 casos é ultrapassada desde o passado dia 22 de abril. Por outro lado, não se verificou qualquer morte devido à Covid-19.

À semelhança da tendência verificada nos últimos dias, foi em Lisboa que se registou o maior número de casos — das 609 infeções, 327 foram detetadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, o que equivale a 53,7% dos casos das últimas 24 horas.

Desconfinamento. Arganil recua à fase 2, três concelhos na fase 3 e sete concelhos em alerta, incluindo Lisboa

Lisboa, recorde-se, é um dos sete concelhos do país que está em alerta, e que poderá ter de recuar caso não consiga travar a disseminação do vírus.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nas restantes regiões de Portugal continental, segue-se o Norte, com 164 novos casos, o Centro, com 52, o Alentejo com 12 e o Algarve com 19. Nas ilhas, os Açores registaram 19 novas infeções e a Madeira 14.

Internamentos diminuem. Desde setembro que não havia menos 50 pessoas em UCI

Quanto ao número de internamentos, diminui, tanto em camas hospitalares como em unidades de cuidados intensivos (UCI). Há agora 244 pessoas hospitalizadas devido à Covid-19, menos duas que no dia anterior, e 49 pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos, menos três do que nas últimas 24 horas.

No que diz respeito ao número de doentes internados em unidades de cuidados intensivos, é de sublinhar que desde 7 de setembro do ano passado que o número não estava abaixo dos 50.

O boletim da Direção Geral da Saúde divulgado este sábado revela ainda que, nas últimas 24 horas, 510 pessoas foram dadas como recuperadas, elevando para 808.557 as pessoas que, desde o início da pandemia, estiveram infetadas com o SARS-CoV-2 e conseguiram recuperar. Há ainda mais 582 contactos sob vigilância, elevando o total para 23.469.

Quanto ao número total de pessoas que contraíram o coronavírus, com o acréscimo dos 609 novos casos — o número mais elevado no último mês — são já 848.213 as pessoas que estiveram infetadas. Desde o início da pandemia, morreram em Portugal 17.023 pessoas devido à Covid-19.

No boletim deste sábado, a matriz de risco não foi atualizado. Nesse sentido, o R(t) mantém-se em 1,07 e a incidência nacional está nos 59,6 casos de infeção por cada 100 mil habitantes (56 em Portugal continental), o que faz com que o país esteja na zona amarela da matriz.