A bolsa nova-iorquina concluiu a semana em ligeira alta, com os investidores a seguirem de perto a aceleração da inflação nos EUA e a prepararem-se para um fim de semana prolongado no país.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average subiu 0,19%, para os 34.529,45 pontos, o tecnológico Nasdaq avançou 0,09%, para as 13.748,74 unidades, e o alargado S&P500 progrediu 0,08%, para os 4.204,11 pontos.

Estes índices terminaram a última sessão de maio em terreno positivo, mas perderam força pouco antes do fecho.

No conjunto do mês, o Dow Jones valorizou 1,93% e o S&P500 ganhou 0,55%, enquanto o Nasdaq baixou 1,53%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

À semelhança dos principais mercados financeiros norte-americanos, Wall Street vai estar fechada na segunda-feira, por ser dia feriado.

Antes da abertura da sessão de hoje, os investidores conheceram a subida dos preços no consumo, de 3,6%, nos EUA, em ritmo anual, segundo o índice PCE do Departamento do Comércio.

Sem os preços voláteis da energia e alimentação, a inflação é de 3,1%, o que é o seu ritmo mais elevado desde 1992.

Esta aceleração suscita interrogações aos investidores, até porque o índice em causa serve de referência à Reserva Federal (Fed) nas suas decisões sobre política monetária.

“Toda a questão é saber em que momento os investidores vão considerar que a Fed está em vias de endurecer a sua política monetária”, disse Peter Hanks, estratega de investimentos na IG.

Este agente pensa que a Fed pode dar sinais sobre uma revisão em alta das suas taxas de juro diretoras ou sobre uma redução do seu programa de compra de ativos, por ocasião da sua reunião de 15 e 16 de junho ou da sua conferência anual, em Jackson Hole, no Estado do Wyoming, no final de agosto.

Várias empresas cotadas divulgaram resultados trimestrais na noite de quinta-feira, entre os quais o editor de programas informáticos Salesforce, que fechou em alta de 5,43%, e o especialista em produtos de beleza Ulta Beauty, que ganhou 5,18%, que superaram as expectativas dos analistas.

Entre os outros valores do dia, a Boeing recuou 1,47%, depois de ter interrompido novamente as entregas do seu avião de longo curso 787 Dreamliner, enquanto junta informações complementares para entregar à entidade reguladora da aviação nos EUA (FAA, na sigla em Inglês), no seguimento de problemas de produção.

Outra empresa, a cadeia de cinemas AMC, depois de se ter valorizado cerca de 30% no início da sessão, acabou em baixa de 1,51%. Não obstante, no conjunto da semana subiu 116% e tem um ganho acumulado de 1.132% desde janeiro.

Apesar da saúde financeira periclitante da empresa, a ação da AMC está a ser preferida, à semelhança da distribuidora de jogos vídeo GameStop, que acabou a descer 12,64%, por um conjunto de pequenos investidores, muito ativo em um fórum do sítio Reddit.

No mercado obrigacionista, o rendimento dos títulos de dívida pública dos EUA a 10 anos estava em baixa, dos 1,61% de quinta-feira, para 1,58%.