Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Edward Snowden entende que o presidente norte-americano, Joe Biden, “está bem preparado para responder” sobre o escândalo de espionagem na Europa, em que os serviços secretos dinamarqueses terão alegadamente ajudado os EUA a espiar a chanceler alemã, Angela Merkel, e outros políticos europeus.

Numa declaração no Twitter, o denunciante que há oito anos revelou detalhes sobre o sistema de vigilância da secreta americana, afirma que Biden esteve ligado a esta ação de espionagem quando era vice-presidente de Barack Obama.

“Biden está bem preparado para responder por isso quando em breve visitar a Europa, uma vez que, como é óbvio, ele esteve logo à partida profundamente envolvido neste escândalo”, escreveu Snowden.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Deve haver um pedido explícito de divulgação pública total”, pede o antigo especialista da Agência de Segurança Nacional americana (NSA) e da CIA.

O escândalo sobre as escutas foi conhecido há oito anos, em 2013, tendo então afetado as relações entre Alemanha e EUA, mas esta semana foram conhecidos novos pormenores. A imprensa dinamarquesa revelou o alegado envolvimento da secreta do país, que terá ajudado os EUA a espiar políticos europeus, nomeadamente na colocação de escutas nos telemóveis de Merkel e de Frank-Walter Steinmeier, atual presidente alemão e na altura chefe da diplomacia germânica.

Revelações sobre atos de espionagem dos EUA a Merkel comprometem a Dinamarca