Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Sporting SAD vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada e multa de quase 10.000 euros conhecidas esta terça-feira após deliberação do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol mas, em paralelo, mostrou em comunicado toda a sua satisfação por ter visto o técnico principal, Rúben Amorim, absolvido da queixa de fraude na inscrição que lhe poderia valer uma sanção de um a seis anos de castigo.

Ainda as habilitações de Amorim: Sporting castigado com um jogo à porta fechada (e uma multa de quase 10.000 euros)

“A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, manifesta o seu agrado pela absolvição do treinador Rúben Amorim das desmerecidas acusações de que foi alvo. Foram demasiados meses de pressão e sob a ameaça de um processo disciplinar injusto que agora chega ao fim. Mas não podemos deixar passar em claro que este caso foi inédito na nossa esfera, de manifestar o nosso espanto pela procedência (ainda que parcial) do mesmo e, por último, por este só ter sido concluído depois do término da Liga NOS. A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, mais garante que tudo fará na defesa intransigente dos seus e, como tal, recorrerá da decisão de interditar o Estádio José Alvalade por um jogo”, começou por defender o clube, explicando as decisões agora conhecidas.

“No âmbito do Processo Disciplinar nº 87 – 2019/2020 (em que o treinador Rúben Amorim e a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD eram acusados de fraude e falsas declarações), o Conselho de Disciplina decidiu ontem, por unanimidade:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

a) Absolver os Arguidos Rúben Filipe Marques Amorim e Sporting Clube de Portugal, Futebol, SAD no que respeita à prática, respetivamente, das infrações disciplinares p. e p. no artigo 133º [Falsas declarações e fraude] e no artigo 83º [Fraude na celebração dos contratos] do RDLPFP20.

b) Arquivar, ao abrigo do disposto no artigo 234º, nº 3, alínea a), do RDLPFP20, o processo disciplinar quanto à Arguida Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, no que respeita à prática da infração disciplinar p. e p. no artigo 96º-A [Quadro técnico sem as habilitações mínimas] do RDLPFP20.

c) Absolver o Arguido Rúben Filipe Marques Amorim no que respeita à prática da infração disciplinar p. e p. no artigo 141º [Inobservância de outros deveres] do RDLPFP20, por referência aos artigos 3º, 5º, nº 1, 12º, 14º, 18º, nº 1, 19º, nº 1, al. a), 25º, nº 1, da Lei nº 40/2012, de 28.08, na redação conferida pela Lei nº 106/2019, de 06.09, conjugados com o disposto no artigo 82º, nº 1, al. a) do RCLPFP20, em virtude de prescrição do procedimento disciplinar;

d) Condenar a Arguida Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, pela prática da infração disciplinar p. e p no artigo 118º [Inobservância qualificada de outros deveres] do RDLPFP20, por referência aos artigos 3º, 5º, nº 1, 12º, 14º, 18º, nº 1, 19º, nº 1, al. c), 25º, nº 2, da Lei nº 40/2012, de 28.08, na redação conferida pela Lei nº 106/2019, de 06.09, conjugados com o disposto no artigo 82º, nº 1, al. a) do RCLPFP20, em sanção de interdição do recinto desportivo por 1 (um) jogo e em sanção de multa que se fixa em €9.563 (nove mil quinhentos e sessenta e três euros).”

Liga acusa Sporting e Rúben Amorim de fraude na inscrição do técnico. Suspensão do treinador pode ir de um a seis anos

“A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD congratula-se com o arquivamento do processo no que diz respeito às acusações de falsas declarações e Fraude e de Fraude na celebração dos contratos, que sempre considerou não terem existido. Da mesma forma, congratula-se com o arquivamento do processo quanto à acusação de ter preenchido o seu Quadro Técnico sem as habilitações mínimas, em virtude de se entender que essa acusação era igualmente infundada”, comenta depois, a propósito da decisão do Conselho de Disciplina.

“No que diz respeito ao referido na alínea c), supra, e apesar do arquivamento dos autos em virtude da prescrição do procedimento, a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD continua a defender que o Treinador Rúben Amorim não violou qualquer norma regulamentar e, nessa medida, lamenta que o mesmo não tenha tido oportunidade de cabalmente demonstrar a sua inocência em virtude da prescrição do procedimento. Quanto à alínea d), supra, a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD vem manifestar publicamente a sua frontal discordância com a sanção de interdição do recinto desportivo por 1 (um) jogo e de multa de €9.563 (nove mil quinhentos e sessenta e três euros) e informa que, no momento próprio, interporá recurso desta decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto”, acrescenta ainda o comunicado do conjunto verde e branco.

“A terminar, a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD manifesta o seu contínuo apoio ao treinador Rúben Amorim, que trabalhou parte substancial da época desportiva transata sob a ameaça de um processo disciplinar injusto, como a decisão ontem conhecida cabalmente comprova. A união de todos em torno dos objetivos da equipa e a convicção de todos os sportinguistas na inocência de Rúben Amorim foram, também, decisivos para o desfecho da época”, conclui a missiva publicada pela Sporting SAD no seu site oficial esta terça-feira.