Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A VW anunciou recentemente uma redução de preço para a bomba de calor que disponibiliza como opcional para os seus ID.3 e ID.4. A oferta, para já, é válida apenas para o mercado alemão, mas como dela depende a autonomia dos modelos eléctricos, o mais natural é que não fique por aqui. Apesar de as bombas de calor fazerem parte do equipamento de série de modelos mais acessíveis, como o Renault Zoe, a VW cobrava até aqui 1250€, valor que agora baixou para 990€, com o construtor a informar ainda que uma actualização over-the-air irá optimizar o funcionamento do sistema.

Os veículos eléctricos têm diferentes necessidades a nível da refrigeração e aquecimento, pois, ao contrário do que acontece com os modelos que recorrem a motores de combustão, os carros a bateria têm de a manter à temperatura ideal de funcionamento, o que significa aquecê-la quando está frio, arrefecê-la quando está calor e prepará-la antes de cada ligação ao posto de carga, sobretudo se a potência disponível for elevada. Isto além de tratar da temperatura dentro do habitáculo.

Há duas formas de regular tudo isto, sendo que tradicionalmente se recorre ao ar condicionado, que funciona comprimindo e expandindo um gás, que depois de se utiliza para permutar temperatura. As bombas de calor conseguem realizar a mesma operação, mas de forma distinta, consumindo menos energia, especialmente em clima frio. Ora, menos energia para o aquecimento significa mais energia para os motores, uma vez que a bateria é a mesma, o que melhora consideravelmente a autonomia.

Mas a Volkswagen tem um problema adicional, uma vez que, de acordo com a Auto Motor und Sport, foi demasiado optimista ao anunciar a eficiência da bomba de calor que utiliza, defraudando os condutores que adquiriram o sistema entre 10% e 20%, com base no rendimento a uma temperatura de -25ºC. Porque não cumpriu com os valores anunciados, a VW teve de devolver 285€ a cada um dos 56.230 clientes que compraram os modelos eléctricos, o que equivale a cerca de 16 milhões de euros. Para os novos clientes, fica a redução no preço da bomba de calor.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR