Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Pelo menos três jovens saudáveis, entre os 27 e os 38 anos, foram convocados para receber a vacina contra a Covid-19 em dois centros de saúde pertencentes à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). Contactada pelo Observador, fonte da task force da vacinação admite falhas “residuais” na convocatória, mas garante que estão a ser tomadas diligências para evitar que este “tipo de situação ocorra”.

De acordo com fonte da task force, não é “expectável” que um utente que “não possua uma das comorbilidades prevista na norma 002/2021 da Direção-Geral da Saúde [DGS], nem se encontre dentro da faixa etária prevista, seja chamado ao processo de vacinação”. No entanto, a task force afirma que este tipo de situações acontece raramente, sendo que pode ocorrer devido a falhas nas bases de dados nos centros de saúde.

Como possíveis falhas para a “chamada extemporânea ao processo de vacinação”, a task force aponta para o facto de os utentes poderem “ter a data de nascimento incorreta” na base de dados, poderem estar sinalizados “indevidamente como tendo uma determinada comorbilidade” ou poderem mesmo desconhecer que sofrem de uma das doenças previstas pela DGS que motivam uma convocatória antecipada à vacinação (como a obesidade ou a diabetes).

Neste caso, os jovens que foram convocados antes da sua vez não tinham qualquer doença, tendo sido chamados por dois centros de saúde pertencentes à ARSLVT, que, confrontada pelo Observador, remeteu explicações à task force.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Jovens que responderem que “sim” a SMS serão na mesma vacinados

Os utentes fora da sua faixa etária ou que não sofram de qualquer comorbilidade e que respondam “sim” ao SMS que receberam para notificá-los da inoculação serão na mesma vacinados, admite a task force, que garante, contudo, estar a “tomar as devidas diligências para evitar que esse tipo de situação ocorra”.

Já se o utente considerar que a prioridade é desadequada e se responder “não” ao SMS (ou mesmo se não der qualquer resposta), a task force assegura o contacto posterior ao utente, que poderá esclarecer “qualquer questão” nessa altura, de modo a entender por que motivo é que terá havido um “lapso na sua convocatória”.

Portugal abriu esta sexta-feira o portal que permite que cidadãos entre os 45 e os 49 anos — a próxima faixa etária a ser vacinada — se inscrevam para poderem fazer o auto-agendamento da vacina contra a Covid-19.

Maiores de 45 anos já podem marcar vacina contra a Covid-19

Henrique Gouveia e Melo, coordenador da task force, antevê que a vacinação das pessoas acima de 30 anos, que ainda não começou, acabe entre o final de julho e início de agosto. Nessa altura, também está previsto que comecem a ser vacinados pessoas com mais de 20 anos.