Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

De um lado, a Europa; do outro, a Ásia. Mais de 10.187 km separam Londres, no Reino Unido, da antiga Saigão, a actual cidade de Ho Chi Minh, no Vietname. Mas essa distância foi encurtada com duas realidades radicalmente opostas, porém, unidas pela paixão por um modelo muito especial da Lamborghini: o Sián, o primeiro superdesportivo electrificado da casa de Sant’Agatha Bolognese.

Em Londres, um milionário brasileiro. Em Ho Chi Minh, um dedicado pai vietnamita com um invulgar talento para esculpir. Um e outro fizeram furor com o respectivo Siàn, por razões distintas. O primeiro, o empresário Henrique Grossi, parou literalmente o trânsito londrino, na semana passada, quando saiu do concessionário da Lamborghini com aquela que é a unidade número 1 do arrebatador coupé italiano. Fosse pelas linhas apaixonantes ou pelo inebriante roncar do bloco de 6,5 litros naturalmente aspirado com 12 cilindros dispostos em V, o certo é que esta entrega foi acompanhada de um grande reboliço, pois os paparazzi quiseram documentar o momento para a posteridade e os amantes de superdesportivos que por ali passavam também fizeram questão de guardar uma recordação. Afinal, não é todos os dias que se põe a vista em cima de um carro que custa 3,3 milhões de euros e do qual só serão produzidas 63 unidades, todas já com dono.

Além de exclusivo, o Sián destaca-se por ser o primeiro Lamborghini a socorrer-se de um apoio eléctrico para entregar mais potência. Assim, os 785 cv do V12 são reforçados pelos 34 cv de um motor eléctrico alimentado por um supercondensador a 48V, acoplado à transmissão. No total, as quatro rodas motrizes passam para o solo uma potência combinada de 819 cv. Argumento suficiente para impelir o Sián coupé de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos, podendo depois superar a fasquia de 350 km/h de velocidade máxima.

16 fotos

Já o Sián produzido no Vietname não vai tão longe, nem é tão veloz, mas é ainda mais “exclusivo” por se tratar da versão descapotável, da qual só serão fabricados 19 exemplares… pela Lamborghini. Entre o original e a réplica do Sián Roadster, o difícil é não ficar impressionado. Como mostra o vietnamita no seu canal de YouTube, construí-lo foi uma tarefa árdua, porque é de um carro em madeira que se trata. Oferece lugar para dois, motorização eléctrica e, mais impressionante ainda, um nível de detalhe que vai do painel de instrumentos às luzes LED. Tudo feito por um pai, ao mais ínfimo pormenor, para fazer o filho feliz. No processo, demorou 65 dias, mas terá valido a pena ir dar uma volta neste Lamborghini sem ter os paparazzi por perto. E, depois, também não é nada habitual ver um superdesportivo deste calibre ser ultrapassado por bicicletas…

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR