Consegue imaginar algo mais adaptável às diferentes fases da sua vida, às famílias que crescem e encolhem (por exemplo, quando os filhos saem de casa) e a tudo o resto que lhe vai acontecendo (incluindo pandemias) do que a sua casa? Dificilmente encontrará uma resposta afirmativa a esta pergunta, porque a verdade é que só a sua casa consegue combinar as virtudes de um porto de abrigo ao superpoder de esticar e encolher conforme as necessidades e ainda revestir-se de diferentes cores, materiais e estilos ao longo do tempo.

Isto é assim desde que chegamos à nossa primeira casa – àquela que partilhamos durante os anos da faculdade – e é assim nas casas que vamos habitando a seguir. Para cada momento da nossa vida há rotinas que se adotam e as casas – que são extensões de nós próprios – adaptam-se, claro. Se nos primeiros tempos o que queremos é um espaço amplo e divertido para podermos receber amigos; já quando a família começa a crescer, o que se procura é conforto e funcionalidade, assim como muita arrumação e materiais laváveis e resistentes. No momento em que os miúdos começam a crescer, as camas precisam de aumentar e os têxteis de ser renovados (por favor, esqueça os cortinados com bonecos). E quando os filhos vão à vida deles, o espaço volta a ser encarado de outra forma e as possibilidades de renovação são imensas – agora, vai poder montar o seu atelier (finalmente!).

No meio de tudo isto, é provável que alguém passe a trabalhar em casa (com ou sem confinamento), ou, então, decida criar uma horta na varanda. Para que tudo isto seja possível, uma coisa simples tem de acontecer: a casa altera-se – como um organismo vivo, lá está – e vai refletindo a essência da família, os seus ritmos e rituais. E, quando isto acontece, está tudo bem.

Casa: o grande reinício

A perceção de que a casa se adapta à nossa vida ficou bem visível durante os confinamentos resultantes da pandemia de Covid-19, uma vez que a casa foi o local onde grande parte da população de todo o mundo se isolou e a partir de onde trabalhou, estudou, fez exercício físico e até socializou. Não é, pois, de admirar que a IKEA, no seu relatório anual – Vida em Casa 2020 – tenha concluído que 78% das pessoas do mundo inteiro consideram que a casa foi o seu santuário durante as restrições de 2020. Aliás, como consequência desse contexto inédito, duas em cada cinco pessoas globalmente admitem mesmo que fizeram mudanças nas suas casas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A necessidade de redefinir espaços, adaptá-los a novas funcionalidades ou trazer o exterior para o interior foi o movimento feito por muitos e será o passo dado por muitos mais, agora que se sabe, de uma maneira inédita, como a casa pode ser vital para o nosso bem-estar. De tal maneira que a IKEA não hesita em apelidar este momento como o Big Home Reboot, já que nunca o foco tinha estado tanto na casa como agora. É, de facto, um verdadeiro reinício. E para apoiar este recomeço, partilhamos algumas dicas. Para que o reboot da sua casa se inicie em 3-2-1:

1 – Como é que viveu o confinamento em casa e que necessidades sentiu? Sente que precisa de dar uma nova vida à sua sala? Ou tornar mesmo aquele quarto sem uso num escritório? Faça uma lista do que pode mudar para tornar o espaço mais confortável e funcional e, com a ajuda das ferramentas de planificação IKEA, reinvente tudo.

2 – A sua casa tem janelas? Valorize todas sem esquecer nenhuma. Quer opte por cortinados ou estores, a escolha terá de ser sempre no sentido de garantir que a luz entra em casa e a paisagem também.

3 – Qualquer centímetro quadrado de varanda é um luxo que deve ser aproveitado. O conjunto de mesa e cadeiras TORPARÖ é a solução ideal e, se decorar com plantas, o local vai ficar ainda mais bonito.

4 – Sabia que trazer a natureza para dentro de casa ajuda a criar uma sensação de refúgio e equilíbrio? Além de dar um ar mais acolhedor à casa, também dá a harmonia certa para a sua casa ser o seu refúgio. Esta foi uma das conclusões do estudo realizado pela IKEA e, como resposta, a empresa lançou uma Estufa Virtual com tutoriais gratuitos sobre cuidados e decoração com plantas.

5 – E que tal criar em casa um espaço onde possa sentar-se em silêncio a meditar ou, simplesmente, a saborear uma chávena de chá enquanto organiza os seus pensamentos e recupera energias? Reservar espaço para estar consigo próprio em casa é – acredite – um fator de estabilidade emocional.

A nossa casa é o nosso refúgio. E a vida em casa deve ser o mais funcional e confortável possível. Por isso, vamos olhar para as nossas casas de forma inspiradora e vamos torná-la única – do tamanho de cada um de nós.