439kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Deputados da Assembleia da Bolívia envolvem-se em cena de pancada durante sessão legislativa

Este artigo tem mais de 6 meses

Cena de murros e pontapé foi motivada pela intervenção de ministro do MAS acerca dos problemas pós-eleitorais de 2019. O senador do partido da oposição acabou por ser responsabilizado pelo governo.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Deputados da Assembleia da Bolívia andaram à pancada na terça-feira. Um elemento do Creemos e um do MAS, partido no poder, agrediram-se fisicamente durante uma interpelação ao ministro Eduardo del Castillo, após ser questionado acerca da prisão da ex-Presidente Jeanine Añez. Também outras duas deputadas se envolveram numa briga.

Como explica o jornal Página Siete, tudo começou quando o ministro do partido de esquerda aludiu às mortes que ocorreram durante o conflito pós-eleitoral de 2019 e pediu um minuto de silêncio, durante o qual os membros do MAS levantaram cartazes onde se lia, nomeadamente, “justiça”.

Bolívia. “Agora sim, guerra civil”?

O senador do Creemos envolvido na cena de pancadaria, Henry Montero, foi ter com o presidente da Câmara dos Deputados (Freddy Mamani), segundo ele — como explicou no final do incidente — para lhe exigir que pusesse “ordem” nos insultos do ministro Castillo, alegando ser “uma pena” que o executivo insultasse os membros do Creemos — o partido da oposição, de direita — e os acusasse de “criminosos, assassinos e golpistas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Num vídeo, publicado no Facebook por um jornalista boliviano, é possível ver o deputado do MAS, Antonio Colque, a levantar-se do seu lugar no plenário para afastar Montero do presidente Mamani, embora não seja possível perceber se os dois já estavam envolvidos nalgum tipo de violência física antes da chegada do deputado de esquerda. Colque começou a agredir Montero com socos, este reagiu e, no meio de mais socos e pontapés, alguns membros da Assembleia conseguiram afastá-los.

Durante a confusão, como é possível ver, também uma deputada de Creemos — Tatiana Añez — e uma deputada do MAS (Movimento ao Socialismo) — María Alanoca — se envolveram numa rixa.

No final da sessão, seguiu-se um pedido de desculpas por parte de Montero. Já Colque afirmou ter sido insultado e discriminado por fazer parte dos povos indígenas, repudiando a violência.

Uma publicação do Ministério do governo, segundo cita o diário boliviano, acabou por responsabilizar Montero pelo sucedido, acusando-o de agredir “vários parlamentares”, inclusive um representante indígena “de terceira idade”, referindo que os membros do partido de direita “interromperam e agrediram” enquanto decorria a sessão. No entanto, como aponta o jornal, segundo os registos da Câmara, Colque tem 40 anos.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.