Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal igualou o maior números de medalhas numa só edição do Campeonato da Europa em abril, na prova que foi organizada em Lisboa. Telma Monteiro, que se sagrou mais uma vez a melhor na categoria de -57kg, foi o inevitável destaque nacional, até pela homenagem que foi prestada durante a competição, o trio Rochele Nunes, João Crisóstomo e Bárbara Timo destacou-se pelos bronzes. No entanto, e mesmo sem chegar ao pódio houve um outro judoca em grande plano. O mesmo que, esta quarta-feira, voltou a brilhar nos Mundiais em -81kg.

Ganhou ao campeão olímpico, ganhou ao campeão mundial mas falhou medalha: Anri Egutidze termina -81kg no quinto lugar

Anri Egutidze teve em Lisboa, no último Europeu, uma concorrência como em poucas categorias. Mesmo assim, foi ultrapassando barreiras: Antonio Esposito, antigo campeão mundial de juniores; Khasan Khalmurzaev, que foi campeão olímpico no Rio de Janeiro; Sagi Muki, campeão mundial em título até essa fase. Só mesmo nas meias o luso-georgiano foi derrotado, pelo turco Vedat Albayrak (terceiro melhor do mundo nessa fase), falhando a medalha apenas no golden score com o italiano Christian Parlati. Não houve pódio, ficou o aviso.

Anri Egutidze esperava medalha e o quinto lugar “custa muito”

Agora, no Mundial, o caminho não foi bem o mesmo mas as vitórias foram ainda mais e Anri Egutidze, de novo como 21.º do ranking mundial em -81kg, voltou a chegar à parte da tarde com possibilidade de chegar a uma medalha, mesmo caindo na zona de repescagens da categoria no final da manhã, sendo esta de novo a categoria com maior representação neste Mundial, com 77 atletas. E fez história, conseguindo mesmo chegar ao tão desejado pódio num combate decidido no golden score e com os dois judocas com dois castigos desde cedo. Em paralelo, o judoca do Benfica formado no Sporting já tinha garantido presença nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Anri começou por derrotar o montenegrino Nebojsa Gardasevic por wazari, vencendo depois o moldavo Nicon Zaborosciuc (83.º) por ippon, a mesma forma com que bateu a seguir o décimo melhor do mundo, o germânico Dominic Ressel. Ainda na fase preliminar, o luso-georgiano superou o espanhol Alfonso Urquiza Solana (66.º) no golden score, tendo perdido apenas com o holandês Frank de Wit, quinto do ranking, por ippon.

Na zona de repescagens, o judoca nacional começou por surpreender o belga Sami Chouchi, 15.º da hierarquia mundial, por ippon, defrontando de seguida Sharofiddin Boltaboev, do Uzbequistão, sétimo do ranking, pelo combate de atribuição de uma das medalhas de bronze do Mundial nesta categoria de -81kg. Desde 2003 que Portugal não conseguia somar medalhas neste peso, com a última a ser ganha por João Neto.