“Não contava, isto é uma coisa absolutamente louca. É apresentado num dia e um dia e tal depois desiste, tão longe eu não ia”, afirmou Rui Rio numa conferência de imprensa, no Porto.

Na quarta-feira, o secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, anunciou à Lusa ter declinado o convite do PS para se candidatar à presidência da Câmara do Porto.

“Recebi com orgulho o convite do presidente da Federação Distrital do Porto do PS para encabeçar uma candidatura à Câmara Municipal do Porto, contudo, após reflexão cuidada, declinei hoje o convite que me foi endereçado”, refere o governante em nota a que a Lusa teve acesso.

Posteriormente, o secretário-geral do PS manifestou “total solidariedade” com a decisão de Eduardo Pinheiro declinar o convite para se candidatar à presidência da Câmara do Porto, esperando agora que concelhia e federação deste partido encontrem “uma solução vitoriosa”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Rui Rio considerou que vai ser “muito difícil” ao PS arranjar um candidato que faça “figura de corpo presente” porque, entendeu, “é evidente que há compromissos não frontais e não transparentes entre o PS e o atual presidente da Câmara do Porto”.

“O PS está a procurar praticamente o impossível, que é desejar a vitória do atual presidente da câmara, ao mesmo tempo que quer ter uma candidatura para disfarçar isso. Obviamente, assim é muito difícil arranjar alguém que se predisponha a ir fazer pouco mais do que figura de corpo presente”, ressalvou.